Mais do blog:

sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Discos para história: A Seu Favor, de Jorge Aragão (1990)


História do disco

Jorge Aragão fez muito sucesso no Brasil entre o final dos anos 1990 e início dos anos 2000. O disco ao vivo lançado em 1999 catapultou o sambista à fama de maneira avassaladora, fazendo virar um dos grandes nomes do gênero naquela período. Mas a carreira dele começou muito antes, aos 11 anos, quando tirava várias músicas que tocavam no rádio de ouvido.

Ele foi um talento nato que foi amadurecendo com o passar dos anos, mas, como qualquer brasileiro, teve várias assinaturas na carteira de trabalho antes de dedicar-se 100% ao samba. Aragão foi corneteiro em um quartel, representante comercial de calçados, carregador e uns bicos aqui e ali quando a coisa apertava um pouco mais. E seu gosto musical, assim como seus trabalhos, também tinham de tudo um pouco: da black music apresentada ao Brasil por Tim Maia, Hyldon e Cassiano, a música da gravadora Motown até o rock de Jimi Hendrix. Ele queria mais era ouvir e aprender com os grandes músicos de sucesso da infância e adolescência.

Mais discos dos anos 1990:
Discos para história: Na Calada da Noite, do Barão Vermelho (1990)
Discos para história: Heaven or Las Vegas, do Cocteau Twins (1990)
Discos para história: Lado B Lado A, d'O Rappa (1999)
Discos para história: Ágætis byrjun, do Sigur Rós (1999)
Discos para história: Maskavo Roots, do Maskavo Roots (1995)
Discos para história: Make Yourself, do Incubus (1999)


Quando passou a frequentar o famoso bloco carnavalesco Cacique de Ramos, começou a tocar com os bambas de lá e o desenvolvimento ganhou corpo. Tanto é que compõe "Malandro" com Jotabê e vê Elza Soares brilhar com a interpretação da faixa. Disso, viu "Vou Festejar" e "Coisinha do Pai", ambas na voz de Beth Carvalho, outros sucessos na carreira como compositor. E o final dos anos 1970 seria ainda mais importante, quando Aragão, Almir Guineto, Bira Presidente e outros fundaram o Fundo de Quintal, um dos grupos de samba mais importantes do Brasil.

"Não tenho tanto estudo, mas acho que consigo às vezes encontrar as palavras certas, as rimas menos comuns. E também tenho meus parceiros, que sempre ajudam na criação e lapidação dos versos, gente como Newton Barros, Jotabê e Flavio Cardoso. Pra falar a verdade, acho até que tenho mais facilidade em fazer melodia, pela minha história musical", disse ele ao 'Portal Sucesso', em 2019, quando celebrou os 50 anos de carreira.

Veja também:
Discos para história: Elis, de Elis Regina (1980)
Discos para história: A Máquina Voadora, de Ronnie Von (1970)
Discos para história: Ella Sings Gershwin, de Ella Fitzgerald (1950)
Discos para história: Stories from the City, Stories from the Sea, de PJ Harvey (2000)
Discos para história: Elvis Is Back, de Elvis Presley (1960)
Discos para história: Closer, do Joy Division (1980)


Pouco tempo depois, Jorge Aragão sairia para iniciar a carreira solo, que foi ganhando corpo ao longo de toda década de 1980, principalmente quando, em 1986, ele acabou contratado pela gravadora RGE -- que já estava vinculada à Som Livre, ligada a Globo (no streaming, só os álbuns desse período em diante estão disponíveis). Dentro da maior emissora do país, tornou-se comentarista dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro no ano seguinte. Cinco anos depois, ele escreveria o tema da "Globeleza", até hoje presente nas transmissões do carnaval pela emissora carioca.

O amadurecimento musical de quase 20 anos de carreira chegou no álbum "A Seu Favor", quando ele prova que é um dos grandes nomes do samba brasileiro. A carreira de Jorge Aragão foi construída em cima de composições próprias e de uma escolha ímpar do repertório. O quinto álbum da carreira mostra como as boas escolhas o colocaram nesse posto com absoluta justiça, sendo um dos melhores trabalhos da longa discografia.



Resenha de "A Seu Favor"

Um disco abrir com "Papel de Pão", uma das melhores composições recentes da história do samba. E Jorge Aragão consegue dar uma interpretação impecável para a faixa. É aquela música que, como diria Wilson Simonal, é para machucar o coração. A primeira das cinco composições de autoria do cantor, "Minta Meu Sonho" continua o ritmo da primeira canção com um arranjo bem suave para falar "ainda existe amor" -- o refrão é espetacular.

Ao ouvir "Tem Que Tocar" pela primeira vez, bateu aquele sentimento de ouvir um Brasil que parece existir em um tempo muito distante. Esse Brasil cantado por Aragão, alegre e cheio de energia, parece não existir mais. Que tempos bicudos e canalhas vivemos hoje. Saudades desse Brasil. Depois vêm a balada de arranjo muito bonito chamada "Deixa Estar" e "Reflexão", essa de ar mais poético.



Um dos melhores compositores da música brasileira e pouco falado, Taiguara é homenageado em "Viagem", que ganha na voz de Aragão aquele tom de samba melancólico que só alguém do nível dele é capaz de fazer sem soar piegas, assim como "Personagem". Duas faixas seguidas não compostas por ele, mas que soam como se fossem. Além de bom compositor, Aragão também é um bom interprete.

O final reserva apenas canções compostas por Aragão -- duas delas sozinho e a ótima "Missão de Mim" com Zeca Pagodinho, outro parceiro nas letras. A faixa-título apela para a melancolia e funciona bem, enquanto "Você Sabe Bem" encerra o álbum com um arranjo mais animado do que a anterior.

"A Seu Favor" é aquele tipo de trabalho que aponta caminhos na carreira, aquele disco que sinaliza um músico de estilo próprio e pronto para estourar a qualquer momento. Ainda demorou quase uma década, mas Jorge Aragão teve o talento reconhecido e conhecido pelo público, algo merecido para alguém com toda essa qualidade.



Ficha técnica

Tracklist:

1 - "Papel de Pão" (Cristiano Fagundes) (3:54)
2 - "Minta Meu Sonho" (Jorge Aragão) (3:31)
3 - "Tem Que Tocar" (Arlindo Cruz, Franco, Marquinho PQD) (3:44)
4 - "Deixa Estar" (Cleber Augusto) (3:44)
5 - "Reflexão" (Jorge Aragão, Luiz Carlos da Vila) (4:53)
6 - "Viagem" (Taiguara) (4:28)
7 - "Personagem" (Altay Veloso) (3:35)
8 - "Missão de Mim" (Jorge Aragão, Zeca Pagodinho) (3:38)
9 - "A Seu Favor" (Jorge Aragão) (3:30)
10 - "Você Sabe Bem" (Jorge Aragão) (3:38)

Gravadora: RGE
Produção: Mílton Manhães
Duração: 39 minutos

Jorge Aragão: vocal e cavaquinho
Ivan Paulo: arranjos

Os créditos estão incompletos porque não estão em lugar algum. Se alguém tiver o disco e quiser mandar os créditos, o post será atualizado. Basta ir em contato e mandar um e-mail.



Continue no blog:


Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!