Mais do blog:

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Discos para história: Moanin' in the Moonlight, de Howlin' Wolf (1959)


História do disco

O delta do Mississípi é famoso na história da música americana por ser o berço de inúmeros talentos do blues que, ao longo dos anos, produziram algumas dezenas de clássicos essenciais para entender o gênero. Um dos nascidos na região foi Chester Arthur Burnett (1910 - 1976), mais conhecido como Howlin' Wolf. Nascido em uma fazenda, teve a vida mudada quando viu a apresentação de Charley Patton, chamado de "pai do Delta do Blues".

Foi com Patton que o jovem Howlin' Wolf aprendeu o básico na música, mas, fundamental, aprendeu a como se comportar no palco e a empostar a voz da maneira correta na hora de cantar. Mas o estilo musical tão conhecido só veio a ser treinado quando ele conheceu Sonny Boy Williamson II, que acabaria virando o marido da meia-irmã de Wolf, quando aprendeu a tocar gaita. De início, o jovem era apenas um imitador de Patton.

Mais discos dos anos 1950:
Discos para história: The Genius of Ray Charles, de Ray Charles (1959)
Discos para história: Amor de Gente Moça, de Sylvia Telles (1959)
Discos para história: The Atomic Mr. Basie, de Count Basie (1958)
Discos para história: Dance Mania, de Tito Puente (1958)
Discos para história: Luiz Gonzaga Canta Seus Sucessos com Zé Dantas, de Luiz Gonzaga (1959)
Discos para história: The "Chirping" Crickets, dos Crickets (1957)


Há controversas sobre o início da carreira de Wolf. Muitos relatos dão conta do início carreira ainda no início anos 1930, outros só viram apresentações dele no final da mesma década. A única coisa certa é o fato de ele ter passado quatro anos no exército e só ter se dedicado 100% a música depois da passagem nas forças armadas. Mas o sucesso só chegou no fim dos anos 1940, quando tinha um programa de rádio e montou a primeira banda com guitarrista Willie Johnson, presente em todas as gravações de Wolf entre 1945 e 1951. Graças a ele, o som pelo qual o cantor ficaria conhecido ganhou cara.

O programa de rádio de Wolf chamou a atenção da lenda Sam Phillips, que recebeu um toque de Ike Turner, então trabalhando no A&R da gravadora Sun. E Howlin' Wolf conseguiu o inacreditável ao emplacar dois hits nas paradas de sucesso de maneira consecutiva no início dos anos 1950 por duas gravadoras diferentes. Claro, isso deu uma confusão danada. Quem acabou levando a melhor foi Leonard Chess, da gravadora Chess, de Chicago. De um apresentador de rádio que tocava as músicas ao vivo, o músico passou a ganhar muito bem e a ter uma vida das melhores graças ao trabalho.

Um momento chave da carreira de Wolf foi quando conseguiu convencer o guitarrista Hubert Sumlin a fazer parte da banda de apoio. Tirando alguns curtos períodos, Sumlin acabou sendo o músico com mais tempo na banda de Wolf -- ele ficou até a morte do gaitista, em 1976 -- e foi quem introduziu a chamada "batida de Chicago" na banda.

Veja também:
Discos para história: Maskavo Roots, do Maskavo Roots (1995)
Discos para história: Cansei de Ser Sexy, do Cansei de Ser Sexy (2005)
Discos para história: Circense, de Egberto Gismonti (1980)
Discos para história: Le Roi de La Bossa Nova, de Luiz Bonfá (1962)
Discos para história: Carlos, Erasmo, de Erasmo Carlos (1971)
Discos para história: Aracy de Almeida Apresenta Sambas de Noel Rosa, de Aracy de Almeida (1954)

Não era incomum vê-lo nas paradas de sucesso ao longo dos anos 1950 ("Moanin' at Midnight", "How Many More Years", "Who Will Be Next", "Smokestack Lightning" e "I Asked for Water (She Gave Me Gasoline)" foram os singles de alcance nacional do cantor), mas o primeiro LP só seria lançado em 1959. Como era de praxe na época, o disco nada mais era que a coleção de singles lançados anteriormente. Então, as músicas foram gravadas entre 1951 e março de 1959 em estúdios diferentes, com músicos e produtores diferentes ao longo do tempo.

O trabalho é um ótimo resumo da primeira década de carreira de Howlin' Wolf na Chess. E também é um bom retrato de como o blues era gravado naquela época, e como a gravadora era mesmo um lugar especial para o gênero. Era a pessoa certa no lugar certo.


Resenha de "Moanin' in the Moonlight"

A faixa-título abre o disco e consegue mostrar todo lado cru de uma gravação de blues dos anos 1950. Faltando mais de uma década para o sucesso dos Beatles, Howlin' Wolf era o completo oposto da alegria dos primórdios do grupo de Liverpool. As desgraças da vida eram bem retratadas, casos de "How Many More Years" e "Smokestack Lightnin'", segundo essa segunda bem melancólica e de ótimo arranjo.

Claro que não poderia faltar música sobre abandono e, acompanhada por um belo solo de gaita, aparece em "Baby How Long. E esse tom de tragédia cotidiana aumenta ainda mais em "No Place to Go" ("Now I'm old and gray, got no place to go/ Now I'm old and gray, got no place to go/ You got yourself a youngster and you can't stand me no more/ I'm going to the stairs, I'm gonna beg ya for my clothes/ I'm going to the stairs, I'm gonna beg ya for my clothes/ For where I go nobody knows"). A dançante "All Night Boogie" chega para animar, mesmo falando do que os jovens hoje tratam como relacionamento tóxico.



O lado B começa com uma das melhores músicas da carreira de Willie Dixon. "Evil" poderia perfeitamente resumir do que é feito os primórdios do blues, já "I'm Leavin' You" convida para dançar enquanto o interlocutor quer mais é sair desse relacionamento para lá de abusivo. E "Moanin' for My Baby" lembra muito as músicas que os escravos cantavam, mas com esse toque inconfundível do gênero.

Outro blues inconfundível é "I Asked for Water (She Gave Me Gasoline)", que traz toda uma melancolia que dá até para sentir o gosto do uísque na boca e o cheio de poeira de um bar velho de beira de estrada. Também não poderia faltar uma faixa sobre armas, papel de "Forty-Four". Por fim, "Somebody in My Home" fecha o álbum com um arranjo bem pesado.


Howlin' Wolf inovou o blues e conseguiu fazer sucesso dentro de um gênero e uma época únicos. Ele morreu em 1976, mas cravou para sempre seu nome como uma das primeiras influências das bandas e músicos que vieram depois.



Tracklist:

Lado A

1 - "Moanin' at Midnight" (2:58)
2 - "How Many More Years" (2:42)
3 - "Smokestack Lightnin'" (3:07)
4 - "Baby How Long" (2:56)
5 - "No Place to Go" (2:59)
6 - "All Night Boogie" (2:12)

Lado B

1 - "Evil" (2:55) (Willie Dixon)
2 - "I'm Leavin' You" (3:01)
3 - "Moanin' for My Baby" (2:47)
4 - "I Asked for Water (She Gave Me Gasoline)" (2:53)
5 - "Forty-Four" (2:51) (Roosevelt Sykes, credited to Burnett)
6 - "Somebody in My Home" (2:27)

Todas as músicas foram compostas por Howlin' Wolf, exceto as marcadas.

Gravadora: Chess
Produção: Leonard Chess, Phil Chess, Willie Dixon e Sam Phillips
Duração: 33min53s

Howlin' Wolf: vocal e gaita
Willie Johnson e Hubert Sumlin: guitarra
Willie Steele e Earl Phillips: bateria
Ike Turner: piano em "How Many More Years"
Hosea Lee Kennard e Otis Spann: piano
Willie Dixon: baixo
Lee Cooper: guitarra em "No Place to Go"
Fred Below: bateria em "All Night Boogie"
S. P. Leary: bateria em "I'm leaving You"
Adolph "Billy" Dockins: saxofone tenor em "Moanin' for My Baby"
Otis "Smokey" Smothers: guitarra em "I Asked for Water (She Gave Me Gasoline)"



Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!

Continue no blog: