quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Resenha: Mark Lanegan & Duke Garwood - With Animals


Dupla disponibilizou recentemente o segundo disco de estúdio

Mark Lanegan já é presença constante aqui no blog com seus últimos discos de estúdio (clique aqui, aqui e aqui para ler). E ele não para de trabalhar. Recentemente, ele disponibilizou em diversos formatos “With Animals”, trabalho lançado em parceria com músico britânico Duke Garwood, que gosta de misturar elementos em suas canções, mas, principalmente, blues e coisas mais experimentais. É o segundo disco de estúdio da dupla.

É um disco com um clima bem sombrio criado pelos arranjos, então o início de "Save Me" consegue colocar isso para o ouvinte logo no primeiro minuto. O tom experimental da faixa combina muito bem com a voz de Lanegan e com o trabalho de Garwood nos últimos anos. "Feast to Famine" é ainda maior nesse sentido, principalmente por lembrar muito algumas das faixas que Lou Reed fez ou poderia ter feito.

Veja também:
Resenha: Paul Weller – True Meanings
Resenha: The Magpie Salute – High Water I
Resenha: Willie Nelson – My Way
Resenha: Paul Simon – In the Blue Light
Resenha: Anna Calvi – Hunter
Resenha: Alice in Chains – Rainier Fog
Resenha: Miles Kane – Coup de Grace


Se "My Shadow Life" é daquelas que chega a doer na alma de tão intensa e melancólica, a acústica "Upon Doing Something Wrong" é aquele tipo de letra poética que também machuca e faz pensar em algumas tristezas da vida. E "L.A Blue" traz um clima meio de música country com um ar sombrio, quase parte da trilha de um filme de Quentin Tarantino, enquanto "Scarlett" e "Lonesome Infidel" retomam o lado experimental do trabalho.

O grande single do disco é a faixa-título, que tem tudo para fazer parte das apresentações de Lanegan e Dukewood por muito tempo. É o tipo de canção que o finado programa de rádio Garagem tocaria com prazer, é o tipo de canção em que é possível perceber que saiu das entranhas da dupla, uma história tensa que valeria um filme ou uma série.

A sequência formada por "Ghost Stories" e "Spaceman" retoma propostas do início do disco. Por fim, "One Way Glass" (sobre depressão) e "Desert Song" encerram o trabalho.

O disco conseguiu unir duas mentes brilhantes em que, cada uma colaborando à sua maneira, o resultado é um trabalho excelente e muito acima da média para tratar de assuntos relevantes e contar boas histórias em forma de poesia.

Tracklist:

1 - "Save Me"
2 - "Feast to Famine"
3 - "My Shadow Life"
4 - "Upon Doing Something Wrong"
5 - "L.A Blue"
6 - "Scarlett"
7 - "Lonesome Infidel"
8 - "With Animals"
9 - "Ghost Stories"
10 - "Spaceman"
11 - "One Way Glass"
12 - "Desert Song"

Avaliação: ótimo




Siga o blog no Twitter Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!

Continue no blog: