quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Resenha: Miles Kane – Coup de Grace


Cantor lançou recentemente seu terceiro disco de estúdio

Miles Kane já foi um dos grandes nomes prodígios da cena britânica; hoje ele já é realidade. Parte de uma das metades do Last Shadow Puppets – a outra é Alex Turner, vocalista e guitarrista do Arctic Monkeys –, o cantor também já foi líder dos Rascals, outro bom grupo dessa cena. E ele também já lançou dois discos solos muito bons – “Colour of the Trap” e “Don't Forget Who You Are” (clique aqui e aqui para ler a resenha).

“Coupe de Grace”, terceiro disco de estúdio de Kane lançado recentemente, começa com a agitada e curta "Too Little Too Late", um começo e tanto para o disco. "Cry On My Guitar" e "Loaded" vêm logo em seguida e ambas soam muito como algumas faixas dos discos anteriores, mas menos brilhantes. E esse é o problema desse disco, em linhas gerais.

Veja também:
Resenha: Mahmundi – Para Dias Ruins
Resenha: Bombino – Deran
Resenha: Carne Doce – Tônus
Resenha: Johnny Marr – Call the Comet
Resenha: Body/Head – The Switch
Resenha: Natalie Prass – The Future and the Past
Resenha: Parquet Courts – Wide Awake!



Porque é tudo exatamente como poderíamos gostar: agito, guitarras altas e tudo mais, mas parece não ser o suficiente. O tom sobe um pouco em "Cold Light of Day" e a coisa melhora, enquanto "Killing the Joke" é uma balada regular que não passa muita coisa. E sem muita força, a faixa-título parte para algo mais agitado novamente, assim como "Silverscreen" e sua guitarra alta – essa com vocal bem gritado por parte de Kane.

Dentre todas as faixas, a que mais chama atenção é "The Wrong Side of Life", justamente por ter aquele algo a mais que falta nas outras – até ouvi mais de uma vez separada. A situação realmente melhora em "Something to Rely On", uma canção dançante com um belo solo de guitarra e bem direta na letra. E a última, "Shavambacu" é uma balada toda no piano bem animada.

Sempre tem uma primeira vez para tudo, certo? Nesse caso, é a primeira vez que me decepciono com um disco do Miles Kane. Protocolar em boa parte dele, só o final é melhor em comparação com o resto. Mas acaba sendo insuficiente para alguém com tanto talento. O resultado é apenas um álbum mediano.

Tracklist:

1 - "Too Little Too Late"
2 - "Cry On My Guitar"
3 - "Loaded"
4 - "Cold Light of Day"
5 - "Killing the Joke"
6 - "Coup de Grace"
7 - "Silverscreen"
8 - "The Wrong Side of Life"
9 - "Something to Rely On"
10 - "Shavambacu"

Avaliação: regular




Me siga no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!

Continue no blog: