terça-feira, 26 de junho de 2018

Resenha: Parquet Courts – Wide Awake!


Banda novaiorquina disponibilizou novo disco de estúdio há pouco mais de uma semana

Fiquei muito empolgado quando descobri o Parquet Courts e, ao longo dos últimos quatro anos, virou uma das bandas com mais resenhas por aqui. Apesar de não achar os discos excelentes – são bons –, gosto muito da banda, principalmente das apresentações ao vivo. Disponibilizado recentemente "Wide Awake!", produzido por Danger Mouse. É o sexto disco de estúdio do grupo e sucessor de "Human Performance", de 2016. (clique aqui e aqui para ler outras resenhas sobre a banda)

Não sei se é o clima de Copa do Mundo pairando desde o meio do mês, mas gostei bastante de "Total Football". Rápida, quase uma mistura de pós-punk com surf music, ela abre bem o disco e já coloca o pessoal para dançar logo de cara. O clima fica mais pesado, com razão, em "Violence" – eles trazem o estilo e homenageiam banda Funkadelic em uma faixa sobre o atual momento violento da sociedade americana.

Veja também:
Resenha: Snail Mail – Lush
Resenha: Father John Misty – God's Favorite Customer
Resenha: Courtney Barnett – Tell Me How You Really Feel
Resenha: Lake Street Dive – Free Yourself Up
Resenha: Leon Bridges – Good Thing
Resenha: Ben Harper e Charlie Musselwhite – No Mercy in This Land
Resenha: Manic Street Preachers – Resistance Is Futile


E emendando com a anterior, "Before the Water Gets Too High" fala sobre um possível apocalipse usando um arranjo todo baseado na linha de baixo e muita distorção na guitarra, enquanto podemos ouvir mais de surf music na balada romântica "Mardi Gras Beads". Para não parar as referências, temos um pouco de punk e pós-punk em "Almost Had to Start a Fight/In and Out of Patience", em que o produtor insistiu para ser uma faixa só do que duas curtas.

Mas a grande ousadia da banda foi colocar o título de uma faixa de "Freebird II", uma clara referência ao clássico do Lynyrd Skynyrd. Mais melódica do que as anteriores, ela é melancólica e muito boa, mas carrega um peso muito grande por consequência dessa escolha. E, mais uma vez, a banda faz a escolha de mudar de ritmo bruscamente novamente – agora com "Normalization". Também baseada no baixo, a faixa é pesada e bem agitada, principalmente no refrão.

Se "Back to Earth" soa muito o tipo de música que Ian Curtis faria caso estivesse vivo, a faixa-título liga o modo Talking Heads de música festiva e vai, e eles ativam o lado mais Devo em "NYC Observation". E ainda tem a veloz "Extinction". Ufa. A balada "Death Will Bring Change" fala sobre o acidente em que a irmã do vocalista morreu aos 16 anos e é de cortar o coração – o coro de crianças cantando só aumenta a tristeza. Por fim, "Tenderness" retoma o clima de otimismo do início para encerrar o disco.

Esse é o disco do Parquet Courts que traz mais variações entre as faixas. Tem de tudo um pouco, e isso é muito bom para uma banda no sexto disco. Ao mesmo tempo em que eles não deixaram de fazer exatamente o que fazem desde o início, conseguiram colocar novos elementos e entregar um trabalho muito acima do esperado.

Tracklist:

1 - "Total Football"
2 - "Violence"
3 - "Before the Water Gets Too High"
4 - "Mardi Gras Beads"
5 - "Almost Had to Start a Fight/In and Out of Patience"
6 - "Freebird II"
7 - "Normalization"
8 - "Back to Earth"
9 - "Wide Awake"
10 - "NYC Observation"
11 - "Extinction"
12 - "Death Will Bring Change"
13 - "Tenderness"

Avaliação: ótimo



Me siga no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!