terça-feira, 31 de julho de 2018

Resenha: Carne Doce – Tônus


Banda lançou recentemente o sucessor de "Princesa"

Houve muito o que comemorar em "Princesa", disco do Carne Doce lançado em 2016. Foi um ótimo disco de uma ótima banda, formada por Salma Jô (voz), Macloys Aquino (guitarra), João Victor Santana Campos (guitarra e sintetizadores), Anderson Maia (baixo) e Ricardo Machado (bateria), que conseguiu agradar bastante gente pelo Brasil ao formar uma base de fãs. Agora o grupo retorna em Tônus, terceiro disco de estúdio.

Uma coisa a ser elogiada nas composições deles é como eles conseguem aliar tão bem coisas do cotidiano com arranjos delicados. "Comida Amarga" abre o disco com essa premissa, e a voz de Salma Jô é uma boa pedida para cantar essas composições. "Irmãs" traz um lado mais eletrônico, mas suave o suficiente para combinar com outros elementos.

Veja também:
Resenha: Johnny Marr – Call the Comet
Resenha: Body/Head – The Switch
Resenha: Natalie Prass – The Future and the Past
Resenha: Parquet Courts – Wide Awake!
Resenha: Snail Mail – Lush
Resenha: Father John Misty – God's Favorite Customer
Resenha: Courtney Barnett – Tell Me How You Really Feel


"Besta" coloca um quê de MPB de barzinho, aquele tipo de música que a Nova Brasil FM vai ficar feliz em colocar na programação por agradar adultos com mais de 35 anos. E ainda bem que temos a chance de ouvir pessoas adultas falando sobre coisas de adulto – como sexo – em "Amor Distrai (Durin)" e "Brincadeira". Sem indiretas ou sinônimos, o assunto é tratado de maneira bem direta, e isso é ótimo em uma faixa de andamento bem simples.

O lado mais acústico aparece em "Já Passou", em que a banda parece inspirada pela MPB feita por mulheres no final ao longo dos anos 1990. E a faixa-título acelera um pouco as coisas ao falar sobre juventude, algo que, para muitos, já é algo muito distante e difícil de entender hoje. A melancólica "Ossos" é do tipo de canção que beira um poema musicado que fará – espero – muita gente refletir sobre a vida.

"Nova Nova" poderia ser uma faixa piegas sobre encontrar o amor, porém ela avança um pouco mais no tema ao não se prender em frases feitas e clichês baratos em um ótimo ponto positivo. E "Golpista" encerra com um recado bem claro para quem acompanha política no Brasil nos últimos dois anos.

O Carne Doce entregou um trabalho acima da média mais uma vez. Desta vez com um estilo um pouco mais lento e mais adulto, a banda conseguiu falar sobre vários temas sem cair na vala comum – um ponto positivo em meio ao marasmo que vemos por aí. Uma banda brasileira que, definitivamente, vale a pena acompanhar.

Tracklist:

1 - "Comida Amarga"
2 - "Irmãs"
3 - "Besta"
4 - "Amor Distrai (Durin)"
5 - "Brincadeira"
6 - "Já Passou"
7 - "Tônus"
8 - "Ossos"
9 - "Nova Nova"
10 - "Golpista"

Avaliação: muito bom




Me siga no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!