Mais do blog:

sexta-feira, 3 de maio de 2019

3 Dicas da Júlia: Filmes de terror dos anos 1970


Mais um post da Júlia Gavillan aqui no blog, agora indicando três filmes clássicos de terror dos anos 1970. O que acharam? Ela está no Twitter e no YouTube.

Veja também:
3 Dicas da Júlia: Animações que completam dez anos
3 Dicas da Júlia: Cinebiografias
3 Dicas da Júlia: Os melhores filmes da DC
3 Dicas da Júlia: Animações da Disney
3 Dicas da Júlia: Documentários ótimos para assistir
3 Dicas da Júlia: Séries para assistir agora
3 Dicas da Júlia: Os melhores filmes da Marvel
3 Dicas da Júlia: Vencedores do Oscar em Melhor Filme

"O Exorcista" (1973)

Vamos lá, é impossível falar de histórias de terror da década de 1970 e deixar "O Exorcista" de fora. Dirigido pela lenda William Friedkin, o filme é adaptado do romance homônimo escrito por William Peter Blatty em 1971. Baseada no caso real(!!) do exorcismo de Roland Doe, uma menina de 12 anos, quando dois padres são chamados para tentar salvá-la.

"O Exorcista" faz parte de um ciclo de filmes com "crianças demônios" iniciado em meados anos 1960 e até a década seguinte. O impacto cultural foi tão grande que os estúdios passaram os próximos anos destinando uma bela grana para longas com essa temática ou com elementos parecidos.

O sucesso da produção foi tamanho que o público esperava por HORAS nas filas dos cinemas em pleno inverno, mesmo que as críticas na época fossem mistas. As reações foram tão fortes, que uma revista científica publicou um artigo sobre a "neurose cinematográfica" gerada pelo filme. E realmente é difícil você não ter uma reação assistindo "O Exorcista". Segura na mão de alguém e vai.




"Despertar dos Mortos" (1978)

Mas se você prefere uma história de zumbis, você precisa assistir "Despertar dos Mortos". Escrito e dirigido por George A. Romero, o filme acompanha quatro sobreviventes de um ataque zumbi escondidos em um shopping abandonado. Lá começam a planejar uma forma de contra-atacar. No entanto, milhares de zumbis descobrem o esconderijo e começam um novo massacre, contaminando alguns dos sobreviventes.

"Despertar dos Mortos" é o segundo filme da franquia "The Dead", com seis filmes de terror de zumbis criados por Romero -- tudo começou em "A Noite dos Mortos-Vivos" de 1968. Os dez anos entre as produções colaboraram para o diretor contar com novos efeitos especiais e uma escala apocalíptica maior que seu antecessor. Além de um visual impressionante e extremamente violento -- esteja avisado --, "Despertar dos Mortos" faz comentários satíricos sobre o consumo excessivo da sociedade da época. Em 2h07, vemos o sonho americano basicamente se tornar uma realidade MUITO sangrenta.




"Alien - o Oitavo Passageiro" (1979)

O final da década entregou um dos melhores filmes de terror já feitos e quem discorda é clubista. "Alien - o Oitavo Passageiro" é um dos mais perturbadores que já vi na vida -- e olha que já vi muito filme perturbador. Baseado em uma história de Dan O'Bannon e Ronald Shusett, a história acompanha uma tripulação de um navio mercante do espaço que atentde uma chamada de socorro e encontra um dos tripulantes sendo atacado por uma misteriosa forma de vida. Nada como ficar preso em uma espaçonave com uma criatura extraterrestre um tanto agressiva, não é mesmo?

"Alien - o Oitavo Passageiro" é um daqueles filmes que causam uma inevitável sensação de urgência e claustrofobia, porque, além de uma história assustadora, o próprio cenário colabora para nos sentirmos presos, apenas esperando a morte. Hm, que gostoso. Não canso de indicar esse filme e você podia aproveitar para (re)ver, já que a produção completa 40 aninhos em 2019.

Agora que esse filme é da Disney, o mínimo que eu espero é uma atração extremamente assustadora baseada nessa história.

Clique aqui e ouça a trilha sonora original do filme



Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!

Continue no blog: