quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Resenha: Eric Clapton – Happy Xmas


Guitarrista lança primeiro trabalho do tipo na carreira

Se existe alguém que dispensa qualquer tipo de apresentação no mundo da música, esse alguém é Eric Clapton. Até mesmo quem nunca ouviu falar já deve ter ouvido “Lyla” ou “Tears in Heaven” em alguma viagem por aí. Rico, famoso e adorado no meio musical, ele entrou na onda de gravar os discos que quer e do jeito que quer, e ainda conta com um bom orçamento para isso. Depois o ótimo “I Still Do” (2016), ele surgiu com uma novidade e tanto: um álbum natalino.

É bem comum nos mercados americanos e britânicos o lançamento de álbuns ou singles com essa temática. De The Killers e até gente da cultura jovem, é um tipo de trabalho certeiro, que vende razoavelmente bem e coloca qualquer artista na parada ao longo do mês de dezembro. Pois, aos 73 anos, chegou a vez de Clapton ter o seu. E o nome não poderia ser mais simples: “Happy Xmas” – ou simplesmente Feliz Natal.

Veja também:
Resenha: Unknown Mortal Orchestra – IC-01 Hanoi
Resenha: Bixiga 70 – Quebra-Cabeça
Resenha: Ty Segall – Fudge Sandwich
Resenha: Greta Van Fleet – Anthem of the Peaceful Army
Resenha: John Grant – Love is Magic
Resenha: Elvis Costello & The Imposters – Look Now
Resenha: Rod Stewart – Blood Red Roses


Primeira de seis inéditas, "White Christmas" é um blues natalino ideal para abrir a noite de comilança enquanto toma uma bela taça de vinho para evitar falar de política antes das 22h. E, como não poderia faltar, o clima quase religioso do guitarrista aparece nas melancólicas "Away in a Manger (Once in Royal David's City)" e "For Love on Christmas Day".

Após a sequência de três inéditas, vem uma sequência com três regravações. A primeira é "Everyday Will Be Like a Holiday" e sua versão mais blues e um pouco mais agitada, já "Christmas Tears" foi transformada em algo mais sujo, típico dos bares de beira de estrada em que apenas os desprovidos de companhia frequentam para beber ouvindo blues. Mas, calma, esse ainda é um disco de músicas natalinas. "Home for the Holidays" surge com sua batida leve e pronta para encantar quem gosta desse tipo de música.

Destoando muito das outras com sua batida eletrônica, "Jingle Bells (In Memory of Avicii)" é a homenagem de Clapton ao DJ Avicii, morto no início deste ano. É uma homenagem válida, mas acaba sendo uma faixa completamente sem sentido dentro do disco, diferente de "Christmas in My Hometown" – essa uma música natalina de verdade. E se "It's Christmas" é agitada, "Sentimental Moments" retorna com a leveza melancólica que recai nesse período do ano.

A parte final traz um blues mais clássico ("Lonesome Christmas" e "Merry Christmas Baby") e conhecidas faixas que ganharam um toque um pouco mais pessoal ("Silent Night" e "Have Yourself a Merry Little Christmas").

Só mesmo Eric Clapton para me fazer ouvir um disco de Natal. Ainda bem que é muito bom. Ao não fugir de suas características, a não ser em uma faixa, o guitarrista entra no seleto grupo de músicos com um disco natalino bom o suficiente para ser sugerido durante os festejos de 25 de dezembro. Agora dá para trocar Simone e John Lennon por Eric Clapton.


Tracklist:

1 - "White Christmas"
2 - "Away in a Manger (Once in Royal David's City)"
3 - "For Love on Christmas Day"
4 - "Everyday Will Be Like a Holiday" (William Bell, Booker T. Jones)
5 - "Christmas Tears" (R.C. Wilson, Sonny Thompson)
6 - "Home for the Holidays" (Anthony Hamilton, Kelvin Wooten)
7 - "Jingle Bells (In Memory of Avicii)"
8 - "Christmas in My Hometown" (Wayne P. Walker, Max Powell)
9 - "It's Christmas"
10 - "Sentimental Moments"
11 - "Lonesome Christmas" (Lloyd Glenn, Lowell Fulson)
12 - "Silent Night" (Franz Xaver Gruber, Joseph Mohr, John Freeman Young)
13 - "Merry Christmas Baby" (Lou Baxter, Johnny Moore)
14 - "Have Yourself a Merry Little Christmas" (Ralph Blane, Hugh Martin)

Avaliação: muito bom



Siga o blog no Twitter Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!

Continue no blog: