Mais no blog:

quarta-feira, 23 de junho de 2021

Resenha: Rockfield - A Fazenda do Rock, de Hannah Berryman


Assistido na 13ª edição do In-Edit Brasil, festival de documentários musicais, realizado dos dias 16 a 27 de junho

Duração: 91min. Elenco: Kingsley Ward, Charles Ward, Ann Ward, Lisa Ward, Ozzy Osbourne, Tony Iommi. País: Reino Unido.

Qual a chance de uma fazenda escondida no interior o País de Gales virar um dos grandes estúdios da música britânica nos últimos 50 anos? Criado por Kingsley e Charles Ward, dois amantes da música desde muito cedo, Rockfield virou a casa de bandas como Black Sabbath, Simple Minds, Stone Roses, Oasis, entre outros nomes de sucesso. Essa história é contada no documentário "Rockfield: A Fazenda do Rock".

A diretora Hannah Berryman tem o mérito em construir essa história de maneira muito simples: baseada nas entrevistas de alguns dos principais personagens fundamentais na construção da reputação musical do estúdio, concorrente de Abbey Road, em Londres, que, segundo eles, "é o primeiro estúdio residencial do mundo".

Veja também:
Resenha: Sisters with Transistors, de Lisa Rovner
Resenha: All I Can Say, de Danny Clinch, Taryn Gould, Colleen Hennessy e Shannon Hoon
Resenha: The Rumba Kings, de Alan Brain
Resenha: Suzi Q, de Liam Firmager
Resenha: Moby Doc, de Rob Gordon Bralver
Resenha: The Go-go’s, de Alison Ellwood

Estou no Twitter e no Instagram. Ouça o podcast, compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

A família Ward, com ajuda de músicos e produtores famosos, conta a história desde o início. Da empolgação pela música dos irmãos até a virada de uma parte da fazenda em um estúdio simples, mas especial e com capacidade sonora desconhecida por eles. O Black Sabbath foi um dos primeiros a gravar por lá e acabou por criar alguns dos riffs mais famosos da história da música no local. Depois disso, a fama se espalhou e muita, muita gente ia até lá em busca de paz e diversão para trabalhar.

Berryman consegue equilibrar o tom de humor em histórias sensacionais de brigas, desmontes de bandas, tragédias e busca pelo sucesso. É impossível contar todas elas, então o trabalho de edição acaba sendo muito bom ao conseguir equilibrar tudo isso em um material criado para ser uma grande homenagem não apenas ao lugar e aos irmãos Ward, mas a quase toda música britânica de sucesso.

A volta das bandas com guitarras no final da década e início dos anos 1990 deu um novo fôlego a eles, responsáveis por acomodar alguns dos grandes astros do Britpop. Lá, o Stone Roses morou mais de um ano, enquanto Liam e Noel Gallagher tiveram a primeira grande briga entre eles -- ainda levaria mais de uma década para o fim o Oasis.

A primeira impressão sobre o estúdio-fazenda era sempre ruim, opinião mudada drasticamente assim que músicos entravam lá e viam um espaço enorme para criar suas músicas e algumas obras-primas. Hoje, Rockfield é aberta para receber turistas e os donos seguem mesclando o trabalho entre administrar o estúdio e a criação de animais. E ganha uma homenagem mais do que merecida.

Avaliação: ótimo

Continue no blog: