Mais no blog:

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Resenha: Bruce Springsteen - Letter to You


Os últimos dez anos foram importantes na minha reconexão musical com Bruce Springsteen, músico que havia parado de ouvir. Quando voltei, também comecei a prestar mais atenção nas letras e a me identificar cada vez mais com as canções famosas ou não lançadas por ele nos últimos 45 anos. E é incrível como a relação com Springsteen não é apenas gostar da música. É paixão mesmo, dessas de emocionar quando escuto.

O último fim de semana foi um exemplo disso quando, pela terceira vez, chorei assistindo "A Música da Minha Vida", filme baseado no livro de mesmo nome sobre um garoto de família paquistanesa que encontra nas músicas de Bruce Springsteen uma coluna de sustentação para aguentar a própria vida. É por esse e outros motivos que o anúncio de um trabalho de inéditas vem cheio de expectativa. Não foi diferente com "Letter to You", 12º disco de estúdio da carreira.

Veja também:
Duas resenhas: Jónsi e Matt Berninger
Resenha: beabadoobee - Fake It Flowers
Resenha: Sufjan Stevens - The Ascension
Resenha: Drive-By Truckers - The New OK
Resenha: METZ - Atlas Vending
Resenha: Thurston Moore - By the Fire

Springsteen, 71, fala sobre a própria velhice, inspirada na morte do ex-companheiro de banda George Theiss. Tirando o aproveitamento das canções "Janey Needs a Shooter", "If I Was the Priest" e "Song for Orphans", escritas no início dos anos 1970, o resto do material foi feito ou terminado entre abril e novembro de 2019, período em que o compositor também enfrentou um bloqueio para conseguir finalizar o trabalho.

Referências sobre a morte aparecem em todo álbum, como na faixa de abertura "One Minute You're Here", quando Bruce surge no violão cantando a melancólica letra sobre "voltar para casa" e "Um minuto você está aqui / No próximo minuto você se foi". Para alguém com a idade dele, se despedir dos amigos e seguir por aqui deve ser muito duro. Depois vem a sensacional "Letter to You", essa feita para ser cantada alto em estádios pelo mundo -- que falta faz um show de Bruce Springsteen com a E Street Band.

Springsteen também fala sobre relacionamentos ("Burnin' Train" e "Janey Needs a Shooter"), homenageia Theiss ("Last Man Standing") e fala sobre ser o último membro vivo de sua primeira banda, e como a música consegue conectar a vida das pessoas de maneira incrível ("The Power of Prayer"). E assim é possível dizer que ele fecha a primeira parte, momento em que aproveitou para falar de si e se despedir dos amigos.

A segunda parte, iniciada em "House of a Thousand Guitars", apela para o sentimento de comunidade em falta nos tempos atuais em que a maioria pensa pouco no próximo. E não seria um álbum de Bruce Springsteen sem falar de política, certo? "Rainmaker" cumpre esse papel muito bem -- a canção foi escrita alguns anos antes de Donald Trump assumir o poder, mas, ao falar sobre um vendedor de ilusões, se encaixa perfeitamente no atual contexto dos Estados Unidos.

Outra assinatura dele está em "If I Was the Priest" com as referências religiosas muito presentes nas músicas e na autobiografia lançada por ele há alguns anos, mas é em "Ghosts" que podemos admirar com mais profundidade a capacidade de Springsteen em ser um dos melhores compositores de sua geração. Para encerrar o álbum, ele manda a melancólica "Song for Orphans" e "I'll See You in My Dreams", essa realmente o final da jornada do protagonista do trabalho.

Assim como aconteceu com David Bowie em "Blackstar" (2016), o novo álbum de Bruce Springsteen me fez perceber que ele está velho. Mais melancólico, mas com muita força, ele desabafa e desabafa como qualquer pessoa deveria fazer. O disco traz tudo que qualquer fã gosta: é cru e pouco cheio de firulas, além de trazer todos os momentos feitos para Bruce e a E Street Band brilharem no palco.

"Letter to You" é uma carta de Bruce ao mundo sobre como é enfrentar acontecimentos inevitáveis, mas poderia ser feita por qualquer um de nós, esses anônimos do mundo sem voz alguma perante essa coisa grandiosa chamada vida. Mais uma vez, ele consegue falar com qualquer pessoa sendo ele mesmo. E é isso que queremos de Bruce Springsteen, essa sinceridade brutal acompanhada pela melhor banda do mundo.

Estou no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Tracklist:

1 - "One Minute You're Here"
2 - "Letter to You"
3 - "Burnin' Train"
4 - "Janey Needs a Shooter"
5 - "Last Man Standing"
6 - "The Power of Prayer"
7 - "House of a Thousand Guitars"
8 - "Rainmaker"
9 - "If I Was the Priest"
10 - "Ghosts"
11 - "Song for Orphans"
12 - "I'll See You in My Dreams"

Avaliação: excelente

Continue no blog:

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!