segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Resenha: Jeff Tweedy – WARM


É o segundo disco solo do vocalista do Wilco

Assim como outros grandes nomes da música, Jeff Tweedy, vocalista do Wilco, também escreveu uma autobiografia. Chamada "Let's Go (So We Can Get Back): A Memoir of Recording and Discording with Wilco, Etc." (edição importada, R$ 110 em média), ele abre o jogo sobre a vida pessoal, a banda e tudo mais. E, assim como Bruce Springsteen, Tweedy aproveitou a chance para lançar um disco. O diferencial dele sobre o “Boss” é que não é uma antologia com seus maiores sucessos, mas um trabalho de inéditas. “WARM” é o segundo disco solo, sucessor de "Together at Last" (2017).

Tirada de uma conversa com um companheiro de reabilitação, "Bombs Above" abre o disco com uma pegada melancólica mostrada tanto na maneira suave como Tweedy canta a letra, quanto na melodia – o arranjo é bem poético e simples. A abertura é diferente de "Some Birds", essa tanto mais agressiva. O tom é perfeito, já que o cantor aborda a raiva dentro dele há algum tempo e como administrar esse período sombrio da vida.

Veja também:
Resenha: Nile Rodgers & Chic – It’s About Time
Resenha: Baco Exú do Blues – Bluesman
Resenha: Autoramas – Libido
Resenha: Esperanza Spalding - 12 Little Spells
Resenha: Kurt Vile – Bottle It In
Resenha: David Crosby – Here If You Listen
Resenha: Charles Bradley – Black Velvet


Tweedy mostra que é craque ao usar uma metáfora simples – a galáxia – para falar sobre vida, morte e tudo que ronda nossa passagem pela Terra, e isso é bem completado em "How Hard It Is For a Desert to Die". De poucas palavras, a quarta faixa aborda o famoso “aprender na dor ensina mais do que comer pudim caseiro”. Trazendo o country mais à tona com um tom religioso, "Let’s Go Rain" fala sobre a história de Arca de Noé e como a destruição foi um ato de amor, na visão dele.

A melancólica "From Far Away" tem um lado mais experimental em que a percussão não está no mesmo ritmo do resto, mas tudo ainda funciona bem, e "I Know What It’s Like" parece ter sido feita sob medida para quem está com algum tipo de problema e recebe o “sei como é” de outra, sem a outra realmente saber a gravidade do problema. É simpático, porém pode soar um pouco hipócrita. E "Having Been Is No Way to Be" é Tweedy falando dele mesmo ao melhor estilo Jeff Tweedy.

"The Red Brick" e "Warm (When the Sun Has Died)" são duas faces da mesma moeda, são os Cavaleiros de Gêmeos quando não estão com o Deus da Guerra dentro deles. Uma é raivosa e melancólica, outra tem um tanto de esperança sobre vida. Ambas mostram que Tweedy realmente abriu o coração nesse disco e no livro. O trabalho termina com uma reflexão sobre se existe vida após a morte e como procurar alguém que você ama nesse local. "How Will I Find You" também tem poucas palavras e dura pouco mais de seis minutos.

Se o primeiro disco solo de Jeff Tweedy era apenas bom, o segundo conseguiu superá-lo com folga. Uma vez que ele conseguiu abrir o coração com suas letras poéticas e arranjos suaves, ele é um músico imbatível. Feito para emocionar – eu mesmo estou em lágrimas –, “WARM” vai comover até o mais duro coração de pedra. Mas, fundamental, vai dar esperança a quem tinha perdido tudo.

Tracklist:

1 - "Bombs Above"
2 - "Some Birds"
3 - "Don’t Forget"
4 - "How Hard It Is For a Desert to Die"
5 - "Let’s Go Rain"
6 - "From Far Away"
7 - "I Know What It’s Like"
8 - "Having Been Is No Way to Be"
9 - "The Red Brick"
10 - "Warm (When the Sun Has Died)"
11 - "How Will I Find You"

Avaliação: ótimo




Siga o blog no Twitter Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!

Continue no blog: