No YouTube

terça-feira, 25 de julho de 2017

Resenha: Letrux – Letrux Em Noite de Climão


Letícia Novaes, com o fim do Letuce, partiu para um novo projeto solo

Existe uma geração de novas cantoras inspiradas no trabalho de Marina Lima nos anos 1980. Ano passado, Mahmundi ganhou destaque com seu ótimo disco cheio de referências ao estilo único da veterana cantora. Neste 2017, é a vez de Letícia Novaes, ex-Letuce, pegar esse mote e dar uma cara muito própria no início de sua carreira solo como Letrux. Esse início é tratado como um ressurgimento, um reinício de carreira por parte da cantora em que o passado realmente ficou para trás.

O início traz um ar sedutor com "Vai Render", uma faixa que abre com a cantora dizendo que "está à perigo" – uma terminologia que denota solterice, pronta para sair de casa, está na pista para negócio, etc. Um belo resumo desse ressurgimento em forma de Letrux, que continua na ótima "Ninguém Perguntou Por Você" em que a cantora faz uma bela provocação a quem quer que seja – aquela provocação feita pouco antes de dar um gole despojado naquele copo de uísque puro e sem gelo.

Veja também:
Resenha: Ride – Weather Diaries
Resenha: Roger Waters – Is This The Life We Really Want?
Resenha: Lorde – Melodrama
Resenha: Curumin – Boca
Resenha: Oumou Sangaré – Mogoya
Resenha: Blondie – Pollinator
Resenha: Paul Weller – A Kind Revolution


A temática oitentista aparece com bastante força "Coisa Banho de Mar". Ainda que os arranjos e efeitos estejam enquadrados nos nossos tempos de melhoria tecnologia, essa faixa tem tudo para sobreviver ao tempo pelo simples fato de ser ótima. O arranjo vai flutuando para dentro do ouvido e funciona absurdamente bem auxiliando uma letra bem sensual. E a experiência de uma relação entre duas mulheres aparece na seguinte, "Que Estrago", de pegada mais eletrônica, mas, ainda assim, com bastante força.

Esse estilo eletrônico segue em "Puro Disfarce", essa com a ótima participação de Marina Lima. É como se a experiente cantora estivesse dando sua benção a essa nova geração de cantoras que surge inspirada em seus trabalhos realizados há mais de 30 anos. Não poderia ter faixa melhor para essa participação – tudo encaixou muito bem. Aí vem a balada melancólica "Amoruim" de verso Até o amor ser bom ele é tão ruim/ Tão ruim/ Até o amor ser bom ele é tão ruim/ Tão ruim. É uma canção dolorida e cheia de tristeza em todos os aspectos.

Mas daí vem a ótima balada dançante "Noite Estranha, Geral Sentiu", a grande faixa desse álbum. Para usar um termo em desuso: ela é perfeita para tocar no rádio. A letra é grudenta e ainda tem um cutucão a quem quer que seja sobre estar bem em determinada situação em que a outra pessoa não está. E "Além de Cavalos" é sobre a estúpida ideia de tatuar o nome do amado quando está tudo correndo bem, então o amor acaba e você precisa ficar olhando para o desenho (Não, nunca mais eu me coloco nessa/ Por que eu não escolhi um ideograma?/ Ou talvez um número da sorte?).

O ar meio psicodélico de "Hypnotized" faz sentido pelo título e pelo que o lado instrumental da faixa te leva a pensar – em uma viagem muito louca, no caso. Se "Flerte Revial é eletrônica do início ao fim, "5 years old" é um encerramento melancólico e reflexivo por parte da cantora.

Não há dúvida de que esse disco de Letrux é um dos melhores lançados neste ano. Cheio de sexualidade, desabafos, cutucadas e mais, Letícia Novaes assumiu essa nova identidade de uma maneira a não deixar dúvidas que ela nunca foi tão ela nesse momento da carreira. E ela superou expectativas.

Tracklist:

1 - "Vai Render"
2 - "Ninguém Perguntou Por Você"
3 - "Coisa Banho de Mar"
4 - "Que Estrago"
5 - "Puro Disfarce" (part. Marina Lima)
6 - "Amoruim"
7 - "Noite Estranha, Geral Sentiu"
8 - "Além de Cavalos"
9 - "Hypnotized"
10 - "Flerte Revial"
11 - "5 years old"

Nota: 4/5



Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!