No YouTube

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Resenha: Billy Gibbons – Perfectamundo


Billy Gibbons é uma lenda da música. Com o ZZ Top, ele conseguiu popularizar um tipo de música que mesclou um gênero musical e uma região dos Estados Unidos, o Texas Blues. Perto de completar 66 anos, sendo mais de 40 dedicados a música, aventurou-se na carreira solo pela primeira vez ao lançar Perfectamundo no início de novembro.
  • Gravadora: Concord Records
  • Lançamento: 6 de novembro
  • Produção: Joe Hardy e Billy Gibbons
  • Duração: 38 minutos
A guitarra bem reconhecível em "Got Love If You Want It" não deixa dúvida: é um disco de Billy Gibbons mesmo. Apesar de quase achar que a maioria das faixas é alguma sobra de estúdio de sua banda principal, essa primeira canção é uma boa introdução até mesmo para quem não gosta de ZZ Top, mas deseja conhecer um pouco mais a carreira desse grande guitarrista e compositor. A curtinha "Treat Her Right" tem uma história sobre tratar bem uma mulher – a melodia é boa para dançar.

O blues folk de "You're What's Happenin', Baby", por ser a mais longa do disco, coloca Gibbons na posição de poder improvisar e fazer longas partes instrumentais durante os quase sete minutos, apesar de ter um rap duvidoso na segunda metade. Toda no piano, "Sal Y Pimiento" é legal e é a primeira de quatro canções com títulos em espanhol (a proximidade de Texas e México criou esse tipo de mistura musical no estado americano), já "Pickin' Up Chicks On Dowling Street" parece ter sido composta nos anos 1980, porque soa muito como um hard rock daquela época.

Os efeitos em "Hombre Sin Nombre" tiraram um pouco a graça dela, que tinha potencial para ser um blue rock bem interessante, enquanto a salada entre rap e rock aparece na fraca "Quiero Mas Dinero", outra de bom potencial que poderia ter soado um pouco melhor, e "Baby Please Don't Go" recoloca Gibbons na habitual simplicidade em uma canção que é mais a cara dele.

Não deixa de ser engraça a tentativa de cantar o refrão de "Piedras Negras", principalmente a palavra em espanhol – ele força o máximo que pode para pronunciar corretamente, o que não deixa de ser louvável. Mais um momento rap, agora em "Perfectamundo", mostra que a insistência funciona de vez em quando. E o blues "Q-Vo" encerra o trabalho, que está longe de ser genial. Mas, nessa altura da vida, Billy Gibbons, ao que parece, só quer se divertir. E está conseguindo.

Tracklist:

1 - "Got Love If You Want It" (Slim Harpo cover)
2 - "Treat Her Right"
3 - "You're What's Happenin', Baby"
4 - "Sal Y Pimiento"
5 - "Pickin' Up Chicks On Dowling Street"
6 - "Hombre Sin Nombre"
7 - "Quiero Mas Dinero"
8 - "Baby Please Don't Go"
9 - "Piedras Negras"
10 - "Perfectamundo"
11 - "Q-Vo"

Nota: 3/5



Veja também:
Resenha: John Grant – Grey Tickles, Black Pressure
Resenha: Titus Andronicus – The Most Lamentable Tragedy
Resenha: Sara Não Tem Nome – Ômega III
Resenha: EL VY – Return to the Moon
Resenha: Boogarins – Manual
Resenha: Puscifer – Money Shot
Resenha: Duran Duran – Paper Gods

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais! Isso ajuda pra caramba o blog a crescer e ter a chance de produzir mais coisas bacanas.