Resenha: Jerry Cantrell - Brighten


Jerry Cantrell é uma lenda do rock dos anos 1990. Guitarrista do Alice in Chains, ele é considerado um dos melhores no instrumento e sempre está nas principais listas dos últimos 30 anos — e sempre nas primeiras posições, lembrado pelo talento e pela capacidade em conseguir cantar também.

Após participar com sucesso da remontagem da banda com William DuVall no vocal, ele participou de alguns projetos e, recentemente, decidiu reativar a carreira solo com "Brighten", o quarto álbum de estúdio e primeiro em quase 20 anos. Por incrível que pareça, o baixo é muito presente em todas as faixas e ajuda a dar o peso necessário para Cantrell usar a guitarra como complemento. É tudo muito harmônico e bem-planejado, começando por "Atone".

Veja também:
Resenha: Mastodon - Hushed and Grim
Resenha: Fito Paez - Los años salvajes
Resenha: Juçara Marçal - Delta Estácio Blues
Resenha: Adele - 30
Resenha: Courtney Barnett - Things Take Time, Take Time
Resenha: Silk Sonic - An Evening with Silk Sonic

Estou no Twitter e no Instagram. Ouça o podcast, compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Ele prova ser um ótimo compositor logo na segunda canção do trabalho, a faixa-título, em que a melodia e refrão grudentos ajudam a canção a ter um enorme potencial. A partir disso, podemos ouvir como Cantrell é muito melódico e gosta muito de preencher as canções com pequenos elementos que acabam fazendo a diferença. É esse cuidado que diferencia os craques dos bons jogadores.

"Brighten" traz participações das mais especiais. O baixista do disco? Duff McKagan, do Guns N' Roses. O baterista? Abe Laboriel Jr., integrante da banda de Paul McCartney há mais de 20 anos. Produção, arranjo de cordas e guitarra complementar? Tyler Bates, famoso compositor de trilhas sonoras — trilogia "John Wick" e "Guardiões da Galáxia 1 e 2" estão entre os mais famosos. É um time de primeira, que faz de "Black Hearts and Evil Done" outra canção acima da média.

Outros destaques do trabalho são "Had to Know", essa com uma guitarra bem presente e uma bateria que mais parece um relógio de tão certeira, e a balada "Nobody Breaks You" ("Nobody breaks you like you and your heart/ No one can write a more self-hating card/ Loathing the author who doctors the chart/ Nobody breaks you like you and your heart").

Por motivos que só Jerry Cantrell pode explicar, a carreira solo nunca foi uma prioridade, mas "Brighten" mostra como ele é um bom letrista e, com ajuda de alguns amigos, faz do novo trabalho uma grande celebração desses quase 40 anos de carreira. Que venham mais discos.

Tracklist:

1 - "Atone"
2 - "Brighten"
3 - "Prism of Doubt"
4 - "Black Hearts and Evil Done"
5 - "Siren Song"
6 - "Had to Know"
7 - "Nobody Breaks You"
8 - "Dismembered"
9 - "Goodbye"

Avaliação: ótimo

Continue no blog: