Mais no blog:

quarta-feira, 29 de setembro de 2021

Resenha: I'll Be Your Mirror - A Tribute to the Velvet Underground and Nico


Homenagens a artistas influentes estão surgindo aos borbotões graças a iniciativas na internet de sites, blogs e entusiastas de determinados grupos e músicos. Nesse embalo, e graças aos serviços de streaming, as gravadoras grandes e médias também estão apostando nesse material. A nova homenagem é para o hoje clássico disco "The Velvet Underground and Nico".

Na época do lançamento, há mais de 50 anos, quase ninguém comprou, mas, reza a lenda, quem conseguiu colocar as mãos em um exemplar do LP com a capa feita por Andy Warhol, acabou fazendo uma banda.

Veja também:
Resenha: Guilherme Arantes - Desordem dos Templários
Resenha: Lindsey Buckingham - Lindsey Buckingham
Resenha: The Vaccines - Back in Love City
Resenha: Matthew E. White - K Bay
Resenha: Manic Street Preachers - The Ultra Vivid Lament
Resenha: Iron Maiden - Senjutsu

Estou no Twitter e no Instagram. Ouça o podcast, compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

O legal desses trabalhos é como cada músico ou banda cria uma versão totalmente diferente da original. O trabalho começa com "I'll Be Your Mirror" começa com a bonita interpretação de Michael Stipe, ex-vocalista do R.E.M., para "Sunday Morning", um clássico no despertar dominical das pessoas que usam os stories no Instagram.

O auge do disco está na releitura de "Run Run Run" feita por Kurt Vile e a banda que o acompanha, os Violators. Esperava qualquer coisa dele, menos uma versão pop, grudenta e cheia de energia. É dessas músicas para afastar o sofá e dançar muito — mesmo sendo sobre o uso recorrente de drogas.

Ainda há espaço para a dupla Thurston Moore e Bobby Gillespie fazer de "Heroin" uma homenagem ao rock alternativo dos anos 1980 e "There She Goes Again" ganhar uma versão mais pop com King Princess. Aí vem a segunda melhor canção do álbum, a faixa-título, interpretada por Courtney Barnett de maneira bem delicada. E a versão insana de "European Son", com Iggy Pop e Matt Sweeney, encerra o disco.

A coletânea em homenagem ao disco gravado por Velvet Underground e Nico em 1967 merece ser ouvida. É a prova máxima de que a banda conseguiu influenciar mais músicos e artistas, da nova e velha geração, do que os dedos das mãos conseguem contar.

Tracklist:

1 - "Sunday Morning" (Michael Stipe)
2 - "I’m Waiting For The Man" (Matt Berninger)
3 - "Femme Fatale" (Sharon Van Etten feat. Angel Olsen)
4 - "Venus In Furs" (Andrew Bird & Lucius)
5 - "Run Run Run" (Kurt Vile & The Violators)
6 - "All Tomorrow’s Parties" (St. Vincent & Thomas Bartlett)
7 - "Heroin" (Thurston Moore feat. Bobby Gillespie)
8 - "There She Goes Again" (King Princess)
9 - "I’ll Be Your Mirror" (Courtney Barnett)
10 - "The Black Angel’s Death Song" (Fontaines D.C.)
11 - "European Son" (Iggy Pop & Matt Sweeney)

Avaliação: ótimo

Continue no blog: