Mais no blog:

segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Resenha: Deep Purple - Whoosh!


É fato que o Deep Purple vive grande fase desde "Now What?!" (2013), lançado pouco menos depois de um ano da morte do tecladista Jon Lord (1941-2012). Desde então, entre as bandas do chamado rock clássico, o grupo tem conseguido não apenas bons resultados em estúdio, mas também nos shows -- o repertório entrou muito bem entre as antigas composições e sucessos.

Até por esses motivos, "Whoosh!", o 21º álbum da discografia, chegou com bastante expectativa com relação ao que vem. Afinal, eles vão manter a toada dos dois últimos ou uma mudança acontecerá? Para quem é versado em Deep Purple, a boa notícia é que a banda segue a mesma linha dos últimos anos. É um show de riffs de guitarra, de teclado, a bateria está com tudo em cima e Ian Gillan parece estar mais em forma do que nunca nos vocais.

Veja também:
Resenha: Alanis Morissette - Such Pretty Forks in the Road
Resenha: The Psychedelic Furs - Made of Rain
Resenha: Fontaines D.C. - A Hero's Death
Dois discos: The Chicks e Ellie Goulding
Dois discos: Courtney Marie Andrews e Lori McKenna
Resenha: The Naked and Famous - Recover


Os últimos anos têm sido muito proveitosos para o Deep Purple. A guinada no álbum de 2013 ajudou muito, principalmente quando motivou muita gente a ouvir o novo trabalho. Disso para ouvir tudo, ou quase, da banda foi um pulo. Muita gente que, por algum motivo, havia largado ou seguia ouvindo apenas os sucessos, deu uma chance e gostou o do que ouviu. E não apenas isso, motivou muitos filhos, sobrinhos e parentes mais jovens a ouvir essa banda com mais de 50 anos em atividade.

Os anos dourados passaram há muito tempo, mas ter uma nova chance de se reconectar com as pessoas e se conectar com novas é uma baita boa notícia. A sequência formada por "Now What?!", "inFinite" (2017) e "Whoosh!" mostra um grupo bastante coeso com sua história, ou pelo menos parte dela, em três álbum lançados em um intervalo de sete anos.

Do álbum, é possível destacar "Nothing at All", "The Long Way Round" e "Man Alive", uma pequena mostra da solidez do Deep Purple, que ainda parece ter muito fôlego para seguir a carreira até quando der. E se isso não é uma ótima notícia, então não sei o que é uma ótima notícia.

Tracklist:

1 - "Throw My Bones"
2 - "Drop the Weapon"
3 - "We're All the Same in the Dark"
4 - "Nothing at All"
5 - "No Need to Shout"
6 - "Step by Step"
7 - "What the What"
8 - "The Long Way Round"
9 - "The Power of the Moon"
10 - "Remission Possible" (instrumental)
11 - "Man Alive"
12 - "And the Address" (instrumental)
13 - "Dancing in My Sleep" (Bonus Track)

Avaliação: bom



Continue no blog:



Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!