Mais do blog:

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Resenha: The Pretenders - Hate for Sale


Na onda do surgimento de novas bandas no final dos anos 1970, quando a força de um movimento para voltar ao básico do rock veio com bastante força após quase uma década do rock progressivo reinando, o Pretenders apareceu com bastante força ao emplacar hits e apresentar ao mundo a carismática cantora e compositora Chrissie Hynde. O tempo passou entre idas e vindas, e a banda retornou às atividades com um álbum de inéditas em 2016 -- o primeiro em oito anos.

Quatro anos depois, o grupo retorna com "Hate for Sale" e a faixa-título ajuda a entender a potência do Pretenders com as guitarras altas e como Hynde ainda parece bastante motivada para seguir em frente por bastante tempo. O novo trabalho de estúdio também mostra como uma banda veterana precisa escolher bem o repertório para não soar repetitiva. Então, sair de uma paulada para a balada "The Buzz" funciona bem.

Veja também:
Resenha: JARV IS... - Beyond the Pale
Resenha: Lianne La Havas - Lianne La Havas
Resenha: Dalai Lama - Inner World
Resenha: Fernanda Takai - Será que Você Vai Acreditar?
Resenha: Rufus Wainwright - Unfollow the Rules
Resenha: Holy Wave - Interloper


Depois o trabalho passa por outras faixas se não tão empolgantes quanto as duas primeiras, pelo menos não comprometem a qualidade do álbum de maneira geral. Do estilo reggae de "Lightning Man", passando pelo pop rock de "Turf Accountant Daddy" até as balada "You Can't Hurt a Fool" e "Crying in Public". O Pretenders agrada fazendo o básico, e isso é ótimo.

Já disse bem mais de uma vez: bandas veteranas precisam entender que sempre haverá expectativas por seus trabalhos, porque muita gente espera uma repetição dos sucessos. Pode acontecer, claro, mas é algo muito complicado e existe a chance de frustração em ambas as partes. E insistir nisso é uma roubada danada.

A simplicidade de "Hate for Sale" é um trunfo e até uma ideia a ser seguida. Insistir em buscar um passado glorioso ou olhar para frente, construir um repertório digno e ter orgulho do trabalho feito no futuro? O Pretenders mostra que a segunda opção não é apenas viável, como é uma boa escolha.

Tracklist:

1 - "Hate for Sale"
2 - "The Buzz"
3 - "Lightning Man"
4 - "Turf Accountant Daddy"
5 - "You Can't Hurt a Fool"
6 - "I Didn't Know When to Stop"
7 - "Maybe Love Is in NYC"
8 - "Junkie Walk"
9 - "Didn't Want to Be This Lonely"
10 - "Crying in Public"

Avaliação: bom



Continue no blog:



Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!