Mais no blog:

quinta-feira, 16 de julho de 2020

Resenha: Dalai Lama - Inner World


Caso você não more em uma caverna ou qualquer coisa do tipo, deve saber quem é o Dalai Lama e o motivo de ele ser uma das pessoas mais conhecidas do mundo. A parte tudo isso, que levaria a longos parágrafos em que nada envolveria música, ele resolveu entrar na música. Quer dizer, não que a música não faça parte da vida dele, já que o budismo tibetano tem muitos cantos como parte da rotina religiosa. "Inner World" é o primeiro -- isso mesmo -- álbum de Dalai Lama, que contou com ajuda do músico, produtor e arranjador Abraham Kunin.

Imagino que muita gente já deve ter assistido ao seriado "The Office", certo? Se não, muito resumidamente, basicamente uma equipe de filmagem passa os dias dentro de uma empresa e grava tudo que acontece -- tudo mesmo. "Inner World" é mais ou menos a mesma coisa, só que sem a parte da comédia. Nada mais é que um dia de trabalho do Dalai Lama inteiramente gravado e disponibilizado para o mundo inteiro ouvir.

Veja também:
Resenha: Fernanda Takai - Será que Você Vai Acreditar?
Resenha: Rufus Wainwright - Unfollow the Rules
Resenha: Holy Wave - Interloper
Resenha: Willie Nelson - First Rose of Spring
Resenha: Paul Weller - On Sunset
Dois discos: Gum Country e Rose City Band


Mesmo com as mudanças nas paradas musicais nos últimos anos, não deixa de ser uma surpresa que o primeiro álbum gravado por um Dalai Lama na história tenha chegado ao primeiro posto -- no caso, da parada New Age. Caso seja levado em conta apenas só o aspecto religioso do trabalho, muita gente vai ouvir e gostar, porque é bem relaxante -- mesmo.

No aspecto musical, o Dalai Lama gravou um álbum dentro da categoria spoken word. Ou seja, é um trabalho muito mais falado do que cantado e não sai do lado religioso em momento algum. Sabe o AC/DC gravando o mesmo tipo de música ano após ano por saber fazer apenas isso? Só que aqui está muito mais "Stairway to Heaven" do que "Highway to Hell".

Os arranjos de "Inner World" são bonitos e a participação de Anoushka Shankar, além de dar um ótimo toque musical, ajuda a mostrar que é possível a união de duas pessoas tão diferentes em um mesmo objetivo -- no caso, fazer música. No fim das contas, o primeiro álbum de Dalai Lama é um marco importante para o budismo tibetano, na arrecadação de fundos para projetos e no histórico primeiro lugar em uma das paradas da Billboard. De resto, vai encantar mesmo quem segue ou deseja seguir o ensinamentos.

Tracklist:

1 - "One of My Favorite Prayers"
2 - "The Buddha"
3 - "Compassion"
4 - "Courage"
5 - "Ama La" (feat. Anoushka Shankar)
6 - "Healing"
7 - "Wisdom"
8 - "Purification"
9 - "Protection"
10 - "Children"
11 - "Humanity"

Avaliação: regular



Continue no blog:



Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!