Mais do blog:

quarta-feira, 13 de maio de 2020

Resenha: Hayley Williams - Petals for Armor


Em meados da primeira década dos anos 2000, a vocalista Hayley Williams surgiu para os jovens da época com o Paramore. Quem foi jovem naquela época (eu) sabe bem como a banda influenciou uma geração de pessoas graças ao repertório composto de músicas agitadas e baladas bem simples sobre coisas bem identificáveis para quem tinha entre 17 e 20 anos.

Como diria um famoso narrador de futebol, "o tempo passa, torcida brasileira" e todo mundo amadurece, ou deveria, e as coisas acabam mudando de figura. A banda mudou de formação e o último álbum é de 2017, enquanto a cantora partiu para uma carreira solo (calma, o Paramore volta em algum momento). Ela dividiu o primeiro trabalho solo em três partes, unidas em um álbum de quase uma hora de duração.

Veja também:
Resenha: Mark Lanegan - Straight Songs of Sorrow
Resenha: Car Seat Headrest - Making a Door Less Open
Dois discos: Hot Country Knights e Other Lives
Resenha: Damien Jurado - What's New, Tomboy?
Resenha: Ed O'Brien - Earth
Dois discos: Baxter Dury e Laumé


Assim como muitos iniciantes, Hayley Williams usou o primeiro álbum de estúdio para cantar tudo que tinha vontade nos últimos anos. Isso é bastante natural em compositores com muito material guardado, vide as 15 canções presentes. Óbvio que o disco acaba pecando por uma irregularidade e falta de maior refinamento no material escolhido. Não há uma sequência muito lógica, apenas um punhado de canções que tem potencial para agradar públicos diferentes.

Muito do material apresenta um lado mais eletrônico e cheio de batidas, coisas que o Paramore não dá muito espaço por conta do estilo musical do grupo mais cheio de guitarras. Mas muitas das músicas poderiam ter sido aproveitadas pela banda em algum momento no futuro, como "My Friend" ou "Why We Ever".

No fim das contas, "Petals for Armor" parece ser muito mais um trabalho para Hayley Williams do que para qualquer outra pessoa no mundo. Ela ficou com vontade de lançar esse disco e assim o fez. Ainda que o resultado não seja dos melhores, ela fez exatamente como quis. É para se respeitar. De resto, um refinamento maior nas canções é a lição que fica para o próximo álbum solo.

Tracklist:

1 - "Simmer"
2 - "Leave It Alone"
3 - "Cinnamon"
4 - "Creepin'"
5 - "Sudden Desire"
6 - "Dead Horse"
7 - "My Friend"
8 - "Over Yet"
9 - "Roses/Lotus/Violet/Iris"
10 - "Why We Ever"
11 - "Pure Love"
12 - "Taken"
13 - "Sugar on the Rim"
14 - "Watch Me While I Bloom"
15 - "Crystal Clear" (contains music from "Friends or Lovers" by Rusty Williams)

Avaliação: regular



Continue no blog:



Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!