Mais do blog:

terça-feira, 7 de abril de 2020

Resenha: Yves Tumor - Heaven To A Tortured Mind


O produtor Yves Tumor começou a carreira musical aos 17 anos quando ainda usava o nome de batismo, Sean Bowie. A coisa começou a andar de verdade três anos depois, quando mudou-se para San Diego. Em 2015, saiu o primeiro álbum de estúdio cheio chamado "When Man Fails You" (2015) e, desde então, ele tem feito lançamentos regulares -- seja de trabalhos especiais, seja de mais álbuns. O mais recente trabalho, "Heaven To A Tortured Mind", foi disponibilizado recentemente em todas as plataformas digitais.

Ao fazer turnês pelo mundo desde muito cedo, Yves Tumor pegou diversas referências do eletrônico americano, mas, principalmente, do europeu. Fica bastante claro na abertura do álbum, "Gospel for a New Century", quando ele explora muito mais a batida e o ritmo do que necessariamente os efeitos. Isso faz uma baita diferença, já que a opção acaba dando ao público faixas que preenchem mais os espaços do que apelam para algo, muitas vezes, desnecessário.

Veja também:
Resenha: Thundercat - It Is What It Is
Resenha: Waxahatchee - Saint Cloud
Dois discos: Dan Deacon e John McLaughlin
Dois discos: Ásgeir e Anti-Flag
Resenha: Pearl Jam - Gigaton
Resenha: Morrissey - I Am Not a Dog on a Chain


O importante é entender esse álbum como uma peça única que dá para colocar em uma festa por exemplo. As faixa são dançantes e algumas, como a primeira e "Kerosene!", são bonitas não apenas do ponto de vista estético, mas as letras também são -- algo bem surpreendente, o que mostra bastante cuidado em todo processo do início ao fim de cada música para formar esse elemento único com pouco mais de 35 minutos de duração.

O trabalho não se apega na música eletrônica. Outra boa qualidade é como Tumor une tudo isso com um R&B moderno e também bem dançante, como bem mostra as faixas "Hasdallen Lights" e "Romanticist" -- mesmo curtas, cumprem bem o papel de mostrar esse aspecto do trabalho com bastante ênfase. Depois da canção de abertura, "Super Stars" é outra ótima canção do trabalho graças ao apelo pop em seus poucos mais de três minutos.

"Heaven To A Tortured Mind" é um trabalho muito maduro e mostra como um produtor com boas referências pode fazer um disco acima da média sem precisar apelar para arranjos simplórios ou soluções pobres para alguns problemas. Ainda é possível ser criativo em 2020, basta usar a cabeça e o imenso talento.

Tracklist:

1 - "Gospel for a New Century"
2 - "Medicine Burn"
3 - "Identity Trade"
4 - "Kerosene!"
5 - "Hasdallen Lights"
6 - "Romanticist"
7 - "Dream Palette"
8 - "Super Stars"
9 - "Folie Imposée"
10 - "Strawberry Privilege"
11 - "Asteroid Blues"
12 - "A Greater Love"

Avaliação: muito bom



Continue no blog:



Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!