No YouTube

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Resenha: Weezer – Pacific Daydream


Veterana banda está perto de completar 30 anos de existência

A idade está chegando para os membros do Weezer. Um bom exemplo disso é do vocalista da banda, Rivers Cuomo, mais perto dos 50 do que dos 40. Também é estranho pensar que os dois clássicos do grupo foram lançados nos anos 1990 (The Blue Album e Pinkerton), mas que 90% da discografia está concentrada no século 21 – são nove discos lançados em 16 anos. E são três discos nos últimos quatro anos, incluindo Pacific Daydream, mais novo trabalho e sucessor de The White Album (2016).

A faixa de abertura já mostra como o Weezer está finalizando a transição para virar uma espécie de Beach Boys do século 21, só que com mais guitarras e um pouco mais agitado em algumas partes, o que fica mais claro na seguinte – justamente a canção que leva o nome da banda hoje liderada por Mike Love. O problema é que não chega nem perto de ser minimamente boa.

Veja também:
Resenha: St. Vincent – Masseduction
Resenha: Beck – Colors
Resenha: Courtney Barnett e Kurt Vile – Lotta Sea Lice
Resenha: Tim Bernardes – Recomeçar
Resenha: Liam Gallagher - As You Were
Resenha: Ringo Starr – Give More Love
Resenha: METZ – Strange Peace


Depois vem a simpática "Feels Like Summer", mediana o suficiente para superar a faixa anterior por larga margem. E como não poderia deixar de ser, o Weezer entrega exatamente o que se espera dele – uma pena que apenas quatro faixas depois. "Happy Hour" é tudo que qualquer fã da banda espera: uma canção sobre não se encaixar em lugar algum. As bontinhas "Weekend Woman", "QB Blitz" e "Sweet Mary" são só isso mesmo e nada mais a destacar.

"Get Right" não faz muita diferença, mas – ainda bem – que a animada "La Mancha Screwjob" surge para deixar a anterior para trás. Uma pena que "Any Friend of Diane's" não fez a menor diferença e é bem esquecível, assim como boa parte do trabalho.

O grande problema desse disco do Weezer é a repetição de uma fórmula pronta e embalada para os fãs. O que pode ser uma boa estratégia para vender o disco, acabou sendo algo ruim. Porque uma coisa é ser mais do mesmo e entregar um bom trabalho, outra é se repetir tanto a ponto de ser um cover de si mesmo. Muito além de ser um álbum esquecível, Pacific Daydream é um dos piores da discografia da banda.

Tracklist:

1 - "Mexican Fender"
2 - "Beach Boys"
3 - "Feels Like Summer"
4 - "Happy Hour"
5 - "Weekend Woman"
6 - "QB Blitz"
7 - "Sweet Mary"
8 - "Get Right"
9 - "La Mancha Screwjob"
10 - "Any Friend of Diane's"

Nota: 2/5



Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!