No YouTube

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Resenha: METZ – Strange Peace


Banda lançou terceiro álbum de estúdio na última semana

METZ II (2015) fez grande sucesso aqui em casa durante algumas semanas. Cheio de energia, o segundo disco dos canadenses do METZ mostra uma banda das mais interessantes nesse cenário dominado pelo dream pop péssimo e por um indie para lá de ruim. E o terceiro trabalho de estúdio, Strange Peace, não vai ficar muito atrás do registro anterior.

"Mess of Wires" começa com as guitarras bem altas, o vocal gritado e uma bateria completamente insana. O ritmo até diminui um pouco em certos momentos, mas tudo volta com a mesma rapidez que se foi. E é praticamente impossível não começar a balançar a cabeça ou querer quebrar tudo, ou ambos, na veloz "Drained Lake". Já "Cellophane" lembra muito o Kinks do primeiro disco no refrão, porém com uma guitarra mais suja e punk.

Veja também:
Resenha: Guilherme Arantes – Flores & Cores
Resenha: Mogwai – Every Country’s Sun
Resenha: The War On Drugs – A Deeper Understanding
Resenha: Far From Alaska – Unlikely
Resenha: Mallu Magalhães – Vem
Resenha: Arcade Fire – Everything Now
Resenha: Letrux – Letrux Em Noite de Climão


"Caterpillar" tem um lado mais experimental ao usar a guitarra, e apenas ela, para dar o ritmo de uma faixa mais falada do que cantada. O lado mais cru da banda retorna na ótima "Lost in the Blank City" e na boa"Mr. Plague", em que é praticamente impossível ouvir a letra por conta do alto volume dos instrumentos – só imagino a loucura que foi essa sessão de gravação.

Mas não poderia falta espaço para melancolia, preenchido muito bem por "Sink", ao passo que "Common Trash" traz a raiva como mecanismo para falar sobre relacionamentos. A curta "Escalator Teeth" serve para abrir para o final insano do disco, marcado por "Dig a Hole" (outra em que podemos dizer que o punk vive) e "Raw Materials" (um pouco mais lenta do que a anterior, mas ainda com bastante energia).

O METZ é uma das boas bandas surgidas nos últimos anos, isso já é certeza. E com os discos mantendo essa regularidade, eles podem não atingir um grande público, porém vão chegar em quem realmente está interessado em ouvi-los. E isso não é pouco.

Tracklist:

1 - "Mess of Wires"
2 - "Drained Lake"
3 - "Cellophane"
4 - "Caterpillar"
5 - "Lost in the Blank City"
6 - "Mr. Plague"
7 - "Sink"
8 - "Common Trash"
9 - "Escalator Teeth"
10 - "Dig a Hole"
11 - "Raw Materials"

Nota: 4/5



Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!