No YouTube

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Resenha: Foxygen – Hang


Dupla chamou mais músicos para o novo trabalho em estúdio

Formado pela dupla Sam France e Jonathan Rado, o Foxygen vem em uma evolução musical desde o último disco – duplo e nada elogiado pela crítica ...And Star Power (2014), que fracassou por ser considerado muito ambicioso e cansativo ao longo de quase 90 minutos de duração. Hang é mais simples e bem mais curto, com pouco mais de 32 minutos, além de ser uma chance de ir além ao buscar referências do passado e aliá-las às novidades do presente.

"Follow the Leader" mostra como a banda pode ser simples e, ao mesmo tempo, criar arranjos grandiosos. A faixa de abertura está no tom certo em todos os aspectos, além de ter um tom anos 1970 bem encantador. "Avalon" apresenta um tom experimental bem infantil e divertido, e "Mrs. Adams" soa um lado B de David Bowie retirado de algum momento da Trilogia de Berlim – o solo de guitarra na segunda metade da faixa é muito bom.

Veja também:
Resenha: Aurelio – Darandi
Resenha: Sepultura – Machine Messiah
Resenha: The xx – I See You
Resenha: Flaming Lips – Oczy Mlody
Resenha: Bob Dylan – Fallen Angels
Resenha: Mano Brown – Boogie Naipe
Resenha: Neil Young – Peace Trail


Bem tradicional e outra de arranjo grandioso, "America" tem um tom natalino psicodélico e pode soar deslocada, mas não é - basta prestar atenção no fim da anterior e no começo dessa, parece que foram conectadas de propósito para dar essa sensação de parte um e dois. E a letra soa mais uma ironia do que qualquer outra coisa. Se "On Lankershim" é uma boa balada de refrão épico, "Upon a Hill" traz um lado mais dançante e pop sem sair da onda experimental do meio para o final.

A melancólica "Trauma" baixa um pouco o tom, e parece outro lado B de Bowie, mas os arranjos são a coisa mais linda – se não tivesse letra, dava para ficar só com a parte instrumental numa boa. O encerramento vem em "Rise Up", o teor gospel que consegue amarrar todo conteúdo e finalizar bem o registro.

Mais do que colocar tudo o que deseja, cortar é fundamental. Seja em um texto, seja em um disco. O Foxygen aprendeu isso com o trabalho passado. Não só conseguiu fazer algo mais enxuto, mas deu beleza às faixas escolhidas. Os arranjos, as letras... Tudo no disco soa bonito e ainda traz um tom experimental em algumas canções. Não julguem pelo fracasso anterior, escutem. É bom e divertido.

Tracklist:

1 - "Follow the Leader"
2 - "Avalon"
3 - "Mrs. Adams"
4 - "America"
5 - "On Lankershim"
6 - "Upon a Hill"
7 - "Trauma"
8 - "Rise Up"

Nota: 3,5/5



Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!