No YouTube

quarta-feira, 9 de março de 2016

Resenha: Poliça – United Crushers


Álbum é o terceiro do duo

Formada por Ryan Olson (mesa de som, computadores e efeitos) e Channy Leaneagh (vocais e sintetizadores), a banda Poliça vem conquistado cada vez mais espaço no mundo indie e já tem certa fama no meio. De 2012, eles haviam lançado dois discos – o último há três anos –, antes de United Crushers, disponível para audição desde o início desta semana.

A dançante "Summer Please" abre o disco e serve para ir aquecendo para próxima, "Lime Habit", mais densa e cheia de nuances. O início mostra que o duo deseja ir para outros caminhos sem deixar a base do sucesso de lado. "Someway" aparece é tem cara de single de sucesso por muito tempo por ter bom ritmo e ser melhor que as duas primeiras.

"Wedding" acaba passando imperceptível por não ter nada de diferente, um tanto diferente da mistura muito proveitosa entre R&B e eletrônico de "Melting Block". De tom mais épico, "Top Coat" é apenas regular e acaba não fazendo muita diferença no andamento do disco, enquanto "Lately" usa uma fórmula já conhecida do duo: voz cheia de efeito com os sintetizadores fazendo o resto do trabalho.

A esquecível "Fish" abre caminho para a ótima "Berlin", uma mistura de vários elementos que, unidos, transformam a canção em algo experimental bem feito e pouco visto no mundo indie, e ao emendar com "Baby Sucks" coloca no caminho do ouvinte duas boas canções em sequência. A boa "Kind" (épica e cheia de efeitos) e "Lose You" (melosa ao extremo e com uns efeitos estranhos) fecham o disco.

Uma pena que o álbum é irregular, porque eles têm imenso potencial. Talvez, ao unir as boas músicas dos dois primeiros discos com as boas daqui, dê para fazer alguma coisa melhor nas apresentações. Apesar de experimentar mais, o resultado final é um pouco decepcionante dada a alta expectativa.

Tracklist:

1 - "Summer Please"
2 - "Lime Habit"
3 - "Someway"
4 - "Wedding"
5 - "Melting Block"
6 - "Top Coat"
7 - "Lately"
8 - "Fish"
9 - "Berlin"
10 - "Baby Sucks"
11 - "Kind"
12 - "Lose You"

Nota: 2,5/5



Veja também:
Resenha: Violent Femmes – We Can Do Anything
Resenha: Tedeschi Trucks Band – Let Me Get By
Resenha: Ra Ra Riot – Need Your Light
Resenha: School Of Seven Bells – SVIIB
Resenha: Yuck – Stranger Things
Resenha: Batushka – Litourgiya (2015)
Resenha: Animal Collective – Painting With


Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais! Isso ajuda pra caramba o blog a crescer e ter a chance de produzir mais coisas bacanas.