Mais no blog:

terça-feira, 24 de agosto de 2021

Resenha: Lorde - Solar Power


Lorde parecia estar sossegada com o fato de não lançar nenhum disco de inéditas há bastante tempo. Perguntada, ela sempre desconversava, mas, gradualmente, a postura foi mudando até que veio o anúncio de "Solar Power", o terceiro álbum de estúdio de uma carreira bem impactante para uma nova geração de fãs. E tudo isso com pouco menos de uma década em atividade.

O novo disco é uma mudança em relação aos trabalhos anteriores. Sai a Lorde mais fechada e introspectiva, entra uma mulher de 24 anos que deseja avançar um pouco mais na própria música. E é isso o causador de estranhamento, principalmente nos primeiros minutos com a faixa-título.

Veja também:
Resenha: Mdou Moctar - Afrique Victime
Duas resenhas: Lingua Ignota e Koleżanka
Resenha: The Killers - Pressure Machine
Resenha: LUMP - Animal
Resenha: Laura Stevenson - Laura Stevenson
Resenha: Ty Segall - Harmonizer

Estou no Twitter e no Instagram. Ouça o podcast, compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Ela também parece estar mais disposta a explorar outros lados da composição, como contar histórias sobre a própria vida com a perspectiva de ser uma pessoa mais madura do que quatro anos antes. Isso muda a visão de mundo pela experiência e entendimento melhor do funcionamento de determinados contextos. Por exemplo, em "Stoned at the Nail Salon", Lorde fala da vida doméstica, da diminuição de ritmo de trabalho nos últimos anos, algo refletido no álbum — menos pesado musicalmente do que os anteriores.

Com ajuda do produtor Jack Antonoff, a cantora apresenta um álbum ainda usando elementos eletrônicos, mas eles usam e abusam de outros elementos para construir os arranjos, como "Secrets from a Girl (Who's Seen It All)" e sua pegada mais pop limpinha. Ela ainda faz músicas melancólicas só que de outro jeito, caso de "Big Star".

Lorde cresceu e decidiu partir para uma nova abordagem. Em um tempo em que a nova geração é cada vez menos presa a gêneros ou estilos musicais, a mudança parecia algo natural para ela. O problema é que tudo parece forçado, sem naturalidade e acaba não sendo um disco empolgante como os dois primeiros, apesar da imensa curiosidade em saber se ela pretende avançar mais no próximo trabalho em estúdio. Agora é aguardar.

Tracklist:

1 - "The Path"
2 - "Solar Power"
3 - "California"
4 - "Stoned at the Nail Salon"
5 - "Fallen Fruit"
6 - "Secrets from a Girl (Who's Seen It All)"
7 - "The Man with the Axe"
8 - "Dominoes" 9 - "Big Star"
10 - "Leader of a New Regime"
11 - "Mood Ring"
12 - "Oceanic Feeling"

Avaliação: regular

Continue no blog: