terça-feira, 2 de março de 2021

Resenha: Nick Cave e Warren Ellis - Carnage


Nick Cave e Warren Ellis formam uma das melhores e mais intrigantes parcerias na música há quase 30 anos. Funciona assim: Cave chega com as letras e vê em Ellis alguém que consegue traduzir isso musicalmente; Ellis vê em Cave alguém que dá liberdade para ele usar os arranjos e experimentos como um modo de conseguir veicular seu talento ao mundo. Juntos, eles têm uma parceria quase imbatível.

A dupla conseguiu tanto entrosamento dentro e fora dos Bad Seeds que levou a parceria para outros trabalhos, como trilhas sonoras de filmes e séries. Mas o que ninguém esperava é que, depois de todos esses anos, eles lançaram um trabalho juntos. É surpreendente pelo fato de que, aos olhos do público, eles se assumem como uma dupla de fato, não só Cave tendo Ellis como fiel escudeiro. Em "Carnage", eles são iguais e têm o mesmo peso.

Veja também:
Duas resenhas: slowthai e nothing,nowhere
Duas resenhas: Pale Waves e Django Django
Resenha: Mogwai - As The Love Continues
Duas resenhas: Clap Your Hands Say Yeah e Rat Columns
Resenha: BaianaSystem - Navio Pirata
Resenha: John Carpenter - Lost Themes III: Alive After Death

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!

Estou no Twitter e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

E se eles são uma dupla, não tem nada a ver com o trabalho feito no Bad Seeds, certo? Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Sem o peso de ser mais um trabalho com o selo da banda, eles parecem um pouco mais abertos em relação aos temas nas letras e aos arranjos. Cave, como em "Hand of God", parte para a música gospel sem a menor vergonha. É aquela música feita no órgão, tensa, pesada e hipnotizante.

O lado mais experimental vai ganhando corpo em "Old Time", em que o arranjo parece feito para um filme de terror, e na faixa-título, essa a melhor de todo álbum. A tocante melancólica é dessas que machuca o coração ainda mais em tempos de pandemia em que vemos mais de mil brasileiros morrendo diariamente. As lágrimas vieram com extrema facilidade e é uma música inesquecível em um período como esse. E é ainda mais quando vem a lembrança da morte do filho de Cave, ocorrida em 2015.

Cave e Ellis apresentam um lado épico-melancólico, vamos chamar assim, para usar diversas metáforas para falar sobre a morte em "White Elephant" ou ainda como ninguém vai sair tão cedo da atual situação na bonita "Albuquerque". E se "Lavender Fields" soa como aquela história cantada em épocas medievais durantes festas e feiras, "Shattered Ground" é uma canção extremamente agoniante -- chega a dar arrepios. O álbum encerra com a bonita "Balcony Man".

O álbum pandêmico de Nick Cave e Warren Ellis é uma coleção de canções melancólicas que combinam muito bem com os tempos atuais. A dupla consegue traduzir muito bem esse momento de nossas vidas em canções cheias de poesia e beleza. "Carnage" é para ouvir, reouvir e ser debatido ao longo de muitos anos por ser um dos grandes álbuns dessa nova década do século 21.

Tracklist:

1 - "Hand of God"
2 - "Old Time"
3 - "Carnage"
4 - "White Elephant"
5 - "Albuquerque"
6 - "Lavender Fields"
7 - "Shattered Ground"
8 - "Balcony Man"

Avaliação: excelente

Continue no blog: