terça-feira, 20 de março de 2018

Resenha: BIKE – Their Shamanic Majesties' Third Request


Terceiro disco chega menos de um ano depois do lançamento do segundo

Uma das melhores bandas da atual cena musical brasileira, o BIKE parece não cansar de trabalhar. Não parece, mas sequer completou um ano do lançamento do disco anterior – Em Busca da Viagem Eterna (2017) – e a banda já está com novo trabalho na praça: Their Shamanic Majesties' Third Request, terceiro disco de estúdio.

"Anhum" já mostra a pegada que o BIKE gosta de apresentar em suas músicas. Uma melodia leve acompanha o vocal distorcido e gera um clima bem psicodélico em uma faixa relativamente curta – sim, quase quatro minutos pode ser considerado um tempo curto para eles. "Nuvem" mantém o mesmo estilo, mas com bem menos efeitos e apoiada na guitarra para ajudar no andamento.

Veja também:
Resenha: David Byrne – American Utopia
Resenha: The Breeders – All Nerve
Resenha: Superchunk – What a Time to Be Alive
Resenha: Hookworms – Microshift
Resenha: Joe Satriani – What Happens Next
Resenha: Glen Hansard – Between Two Shores
Resenha: Shame – Songs of Praise


Com participação do Bonifrate, "Ingá" tem um clima um pouco mais leve e conta com um refrão com grande potencial para ser cantado junto nos shows – um feito e tanto. E "Chá" é outra que alia um bom arranjo e uma boa letra, mas é em "Ita" que temos a chance de ouvir algo diferente, no caso uma parte da guitarra sendo tocada de trás para frente. Combinou bem com a faixa.

"Voo / Pássaro" surge e mostra como o BIKE pode usar elementos simples para formar uma música que encaixa muito bem na proposta do álbum. Para completar uma ótima sequência, "Aroeira" mostra que a banda acerta em cheio ao não aumentar desnecessariamente o tempo das faixas para preencher espaço – a sétima canção do disco tem pouco mais de três minutos, tempo mais do que suficiente. "Cavalo", com participação de Tagore e seus mais de seis minutos, encerra o álbum.

É incrível como o BIKE conseguiu ir além ao passar com maestria pelo tão temido segundo álbum e chegar com bom fôlego no terceiro menos de um ano depois. Se tem uma banda brasileira com potencial alto, falando neste momento do ano da graça de 2018, essa banda é o BIKE. Tomara que eles voem muito alto mesmo.

Tracklist:

1 - "Anhum"
2 - "Nuvem"
3 - "Ingá"
4 - "Chá"
5 - "Ita"
6 - "Voo / Pássaro"
7 - "Aroeira"
8 - "Cavalo"

Avaliação: muito bom



Me siga no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!