terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Resenha: Joe Satriani – What Happens Next


Guitarrista contou com as colaborações de Chad Smith e Glen Hughes

Poderia começar esse texto enchendo Joe Satriani de elogios. Que ele é um dos melhores de sua geração, que faz discos incríveis, que é um de últimos grandes guitarristas de um tempo que está por acabar – mas não vou fazer isso (ops). Aos 61 anos, ele segue firme e forte fazendo exatamente o que quer. E ainda bem. What Happens Next, 18º disco de estúdio, foi lançado há poucas semanas e o guitarrista contou com ajuda de Chad Smith (Red Hot Chili Peppers, Chickenfoot) na bateria e de Glenn Hughes (Deep Purple, Black Sabbath) no baixo.

A qualidade instrumental de Joe Satriani é inegável. O início mais hard rock com "Energy" contrasta com a mistura entre a guitarra e o eletrônico na faixa seguinte, chamada "Catbot". Mesmo muito diferentes em si, ele consegue dar um sentido nessa sequência – principalmente na ponte entre a primeira e a segunda parte com seu ar mais clássico. E esse tom segue em "Thunder High on the Mountain", uma das melhores do álbum.

Veja também:
Resenha: Glen Hansard – Between Two Shores
Resenha: Shame – Songs of Praise
Resenha: Charlotte Gainsbourg – Rest
Resenha: Björk – Utopia
Resenha: Nevilton – Adiante
Resenha: Noel Gallagher's High Flying Birds – Who Built the Moon?
Resenha: Morrissey – Low in High School

powered by TinyLetter


"Cherry Blossoms" lembra muito os trabalhos instrumentais de Jeff Beck, outro guitarrista brilhante com uma sonoridade única. E "Righteous" abre uma sequência com quatro músicas com pouco menos de quatro minutos – o que é sempre ótimo, significa que o guitarrista soube exatamente a hora de parar de tocar. Todas têm seu valor, mas destaco a animada e o retorno ao hard rock "Headrush".

A faixa-título traz um lado épico, uma das principais características no som de Satriani, que ainda não havia aparecido no álbum. Aliada a simplicidade do acompanhamento, a faixa fica muito poderosa dentro do álbum. Já "Super Funky Badass" é bem longa – ultrapassa sete minutos –, mas nem senti o tempo passar. Coerente do início ao fim e, principalmente, sem atropelos ou momentos desnecessários, funciona muito bem.

As duas últimas servem para mostrar como Satriani é um guitarrista extremamente habilidoso ao ir de um lado para o outro sem dificuldade. "Invisible" tem um riff sensacional, enquanto "Forever and Ever" traz um lado mais suave para encerrar o álbum.

É impossível não ter boas expectativas quando o assunto é um novo álbum de Joe Satriani. E ele não decepciona. Em What Happens Next, o guitarrista mostra todas as suas facetas musicais e como, com uma simplicidade ímpar, entre um disco dos melhores – mais uma vez.

Tracklist:

1 - "Energy"
2 - "Catbot"
3 - "Thunder High on the Mountain"
4 - "Cherry Blossoms"
5 - "Righteous"
6 - "Smooth Soul"
7 - "Headrush"
8 - "Looper"
9 - "What Happens Next"
10 - "Super Funky Badass"
11 - "Invisible"
12 - "Forever and Ever"

Avaliação: muito bom



Me siga no Twitter e no Facebook. E compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!