No YouTube

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Resenha: Charlotte Gainsbourg – Rest


Cantora estava há seis anos sem lançar um disco de inéditas

Charlotte Gainsbourg é cantora e atriz e Rest é seu quinto trabalho de estúdio. Só que tem dois detalhes muito curiosos sobre a carreira dela: primeiro, ela estava há seis anos sem lançar um disco de inéditas; segundo, o primeiro álbum é de 1986. Ou seja, a música não é o principal trabalho de Gainsbourg ao longo de seus mais de 30 anos de carreira. Mas ela está de volta, e é isso que importa.

O arranjo quase gospel de "Ring-a-Ring o' Roses" dá um tom dos mais profundos para o início do trabalho, completado por uma letra enigmática e poética por parte da cantora. A seguinte, "Lying with You", traz um lado um pouco mais experimental/eletrônico também usando palavras soltas para contar história, aparentemente, de teor pessoal. Já "Kate" é inteiramente pessoal e das mais melancólicas ao falar sobre a irmã, que leva o nome da faixa, morta em 2013.

Veja também:
Resenha: Björk – Utopia
Resenha: Nevilton – Adiante
Resenha: Noel Gallagher's High Flying Birds – Who Built the Moon?
Resenha: Morrissey – Low in High School
Resenha: Julien Baker – Turn Out the Light
Resenha: Weezer – Pacific Daydream
Resenha: St. Vincent – Masseduction


"Deadly Valentine" é um eletrônico meio genérico cantado inteiramente em inglês que não faz muita diferença no disco, enquanto "I'm a Lie" é a mais pura "sofrência" em francês – nisso eles são craques, vamos combinar. Agora, boa mesmo é "Rest", co-escrita em parceria com Guy-Manuel de Homem-Christo, uma das duas máscaras do Daft Punk, e lembra muito das faixas da dupla. A diferença é que ela está uma rotação abaixo do normal.

Não poderia faltar a típica faixa animadinha, encaixada muito bem em "Sylvia Says" e seu refrão... animadinho. Composta e dada de presente para cantora em 2011 por Paul McCartney, "Songbird in a Cage" tem um quê experimental que, particularmente, é dos mais legais para uma canção com teor pop enorme.

Em "Dan vos airs", a cantora expressa preocupação com o tempo, e como isso afetará seus filhos. Vida, morte, amizades, amores... Tudo isso acontece com o tempo, que é implacável. Para fechar o álbum, "Les Crocodiles" também usa do eletrônico no arranjo, mas é a dançante "Les Oxalis" que deve chamar atenção – principalmente nos minutos finais.

Com o compromisso apenas de satisfazer a si mesma, Charlotte Gainsbourg entrega um bom trabalho que mistura letras em inglês e francês. O lado experimental se destaca, enquanto o eletrônico soa um pouco batido. No geral, acaba sendo acima da média.

Tracklist:

1 - "Ring-a-Ring o' Roses"
2 - "Lying with You"
3 - "Kate"
4 - "Deadly Valentine"
5 - "I'm a Lie"
6 - "Rest"
7 - "Sylvia Says"
8 - "Songbird in a Cage"
9 - "Dan vos airs"
10 - "Les Crocodiles"
11 - "Les Oxalis"

Nota: 3,5/5



Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!