No YouTube

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Resenha: Mogwai – Every Country’s Sun


Grupo estava há três anos sem um disco de inéditas

Das melhores bandas desta e de outras galáxias, os escoceses do Mogwai têm um trabalho dos mais consistentes ao longo de mais de 20 anos de carreira. O sucessor do ótimo Rave Tapes (2014) é Every Country’s Sun, lançado no início deste mês, mas não pensem que a banda dedicou os últimos três anos só nesse álbum. No período, enquanto também esboçavam as primeiras faixas, eles gravaram a trilha sonora do documentário Atomic: Living in Dread and Promise (2016).

Uma das melhores coisas no Mogwai é como a banda consegue construir ótimas faixas instrumentais que vão ganhando corpo com o passar dos minutos. Na abertura do disco, a delicada "Coolverine" mostra muito bem como todos os sons vão se interligando de forma a criar algo leve e muito melódico. "Party in the Dark" surge e, como veremos mais a frente, será uma raridade uma faixa com vocal. Ainda que distorcido e cheio de efeitos, a voz traz uma melancolica aliada com uma parte instrumental mais simples do que a do início, mas, ainda assim, impactante.

Veja também:
Resenha: The War On Drugs – A Deeper Understanding
Resenha: Far From Alaska – Unlikely
Resenha: Mallu Magalhães – Vem
Resenha: Arcade Fire – Everything Now
Resenha: Letrux – Letrux Em Noite de Climão
Resenha: Ride – Weather Diaries
Resenha: Roger Waters – Is This The Life We Really Want?


A entrada das instrumentais "Brain Sweeties", "Crossing the Road Material", "aka 47" e "20 Size" consolidam o material do Mogwai como um dos mais instigantes para ouvir por ser uma sequência de canções diferentes, mas, de alguma maneira, conectadas entre si. É o negócio: não é o tipo de música que vai atingir todo mundo, mas pode ter muito impacto para uma pessoa disposta a ouvir o disco do início ao fim.

"1000 Foot Face" traz um tom quase religioso ao disco, enquanto a instrumental "Don't Believe the Fife" retoma o ritmo mais "espacial" do trabalho. Na parte final do álbum temos as absurdamente boas "Battered at a Scramble" e "Old Poisons", em que o destaque está na força e peso dos instrumentos mais comum aos ouvidos do público. Por fim, a faixa título retoma o lado mais melódico do grupo e mostra como eles podem ir de um lado para outro sem problema.

Mais uma vez, o Mogwai consegue manter o padrão e entregar um ótimo disco. Cada vez mais regular, essa banda mostra como é possível fazer ótimos trabalhos ao longo de uma brilhante carreira.

Tracklist:

1 - "Coolverine"
2 - "Party in the Dark"
3 - "Brain Sweeties"
4 - "Crossing the Road Material"
5 - "aka 47"
6 - "20 Size"
7 - "1000 Foot Face"
8 - "Don't Believe the Fife"
9 - "Battered at a Scramble"
10 - "Old Poisons"
11 - "Every Country's Sun"

Nota: 4/5



Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!