No YouTube

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Resenha: Ty Segall – Ty Segall


Cantor lança o nono trabalho em estúdio em oito anos

Dentre os novos nomes da música, Ty Segall é um dos mais inventivos e cheio de energia para experimental novas sonoridades sem medo de ser feliz. Com oito trabalhos lançados entre 2008 e 2016, ele retorna menos de um ano depois com um novo álbum que, curiosamente, leva seu nome. E mais do que um novo registro, ele conta com a produção de Steve Albini – ele trabalhou em alguns dos melhores discos lançados nos anos 1990.

O álbum começa com "Break a Guitar", uma faixa em que o peso dos instrumentos, marca registrada de Albini, é fundamental para acompanhar o vocal. Ela não perde ritmo e consegue manter-se em volume alto em seus quase quatro minutos. Sem perder o ritmo, a simples "Freedom" aparece com seu refrão grudento e mostra que Ty Segall pode misturar uma introdução acústica com uma ponta formada por um potente riff de guitarra. Aliás, experimental é a palavra para entender a faixa.

Veja também:
Resenha: Tinariwen – Elwan
Resenha: Soen – Lykaia
Resenha: Elbow – Little Fictions
Resenha: Flo Morrissey e Matthew E. White – Gentlewoman, Ruby Man
Resenha: Foxygen – Hang
Resenha: Aurelio – Darandi
Resenha: Sepultura – Machine Messiah


Sem perder muito tempo, "Warm Hands (Freedom Returned)" surge para manter esse experimentalismo, mas sem avançar muito nessa fronteira. E, apesar de seus mais de dez minutos de duração, não é maçante ou cansativa. É muito mais sobre improviso do que qualquer outra coisa, diferente da suave "Talkin'" – uma balada bem executada.

"The Only One" soa muito algo retirado dos anos 1990. Seja pelo estilo vocal ou pelo peso dos instrumentos, essa faixa poderia ter sido gravada por qualquer banda de sucesso daquela época, principalmente as de Seattle. Depois da agitada e metida a engraçada "Thank You Mr. K", vem a balada acústica bonitinha "Orange Color Queen". A um pouco estranha "Papers" e a balada acústica meio Weezer "Take Care (To Comb Your Hair)" encerram o álbum – "Untitled" tem apenas 12 segundos e é só um barulho com a guitarra.

Ty Segall entrega um bom trabalho mais uma vez. Ao flertar com vários tipos de música e manter aquela sujeira calculada em algumas faixas, ele faz algo forte e cheio de energia. E isso é suficiente para quem gosta de seus discos.

Tracklist:

1 - "Break a Guitar"
2 - "Freedom"
3 - "Warm Hands (Freedom Returned)"
4 - "Talkin'"
5 - "The Only One"
6 - "Thank You Mr. K"
7 - "Orange Color Queen"
8 - "Papers"
9 - "Take Care (To Comb Your Hair)"
10 - "Untitled"

Nota: 3,5/5



Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!