No YouTube

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Resenha: Steven Tyler – We're All Somebody from Somewhere


Veterano vocalista lançou primeiro disco solo aos 68 anos

Steven Tyler dispensa qualquer tipo de apresentação, então serei direto: We're All Somebody from Somewhere é o primeiro disco solo de. E para tentar fugir do padrão Aerosmith de música, o vocalista partiu para o country, um gênero completamente diferente do que estamos habituados a ouvi-lo.

Mas ele não fugiu de ter uma balada melosa e grudenta logo de cara. "My Own Worst Enemy" poderia, tranquilamente, estar na trilha de Independence Day 2 que ninguém acharia estranho. É o tipo de música para garantir público e muitas audições no álbum. No fim das contas, nada agrada e ainda é longa, deixando o início muito cansativo. A passável faixa-título só serve para abrir para outra péssima, a seguinte "Hold On (Won't Let Go)".

As chorosas "It Ain't Easy" e "Love Is Your Name" pouco ajudam a querer seguir em frente, enquanto "I Make My Own Sunshine" parece um cover mal feito de uma mistura horrível entre Jack Johnson e Willie Nelson. E a sonolente "Gypsy Girl" não serve nem para passar o tempo. A primeira que realmente funciona, por soar mais natural e não uma cópia de várias coisas, é a bonitinha "Somebody New". Mas é muito pouco, ainda mais na metade do álbum.

Veja também:
Resenha: Tony Joe White – Rain Crow
Resenha: Lukas Graham – Lukas Graham
Resenha: Dinosaur Jr. – Give a Glimpse of What Yer Not
Resenha: Jack & Amanda Palmer – You Got Me Singing
Resenha: Frightened Rabbit - Painting of a Panic Attack
Resenha: The Strumbellas – Hope
Resenha: M83 – Junk

"Only Heaven" tenta dar um ar mais rock ao disco, mas fracassa por ser mais do mesmo. Se a grudenta "The Good, the Bad, the Ugly & Me" até empolga um pouco, apesar de a seguinte, "Red, White & You", ser outra bomba. "Sweet Louisiana" é comum e passável e "What Am I Doin' Right?" e outra cheia de maneirismos bobos e desnecessários. Mas vamos falar mais sério sobre esse trabalho no próximo parágrafo.

Como pode, nessa altura do campeonato, Tyler precisar apelar para duas músicas de sucesso do Aerosmith para completar o disco? Uma versão acústica de "Janie's Got a Gun" não faz o menor sentido e só serve para encher linguiça. Pelo menos, o cover de "Piece of My Heart" ficou bem legal e serviu de consolo. Dentro de um registro tão ruim, ela se salva com sobras.

É muito difícil que esse disco sobreviva por um simples motivo: é muito ruim. Meio desleixado, meio feito na pressa, parece ter sido lançado só pela pressa de ter logo um disco solo. Sem quatro ou cinco músicas melhoraria muito, mas ainda ficaria ruim. Só refazendo do zero para sair algo aproveitável.

Tracklist:

1 - "My Own Worst Enemy"
2 - "We're All Somebody from Somewhere"
3 - "Hold On (Won't Let Go)"
4 - "It Ain't Easy"
5 - "Love Is Your Name"
6 - "I Make My Own Sunshine"
7 - "Gypsy Girl"
8 - "Somebody New"
9 - "Only Heaven"
10 - "The Good, the Bad, the Ugly & Me"
11 - "Red, White & You"
12 - "Sweet Louisiana"
13 - "What Am I Doin' Right?"
14 - "Janie's Got a Gun"
15 - "Piece of My Heart"

Nota: 1,5/5



Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!