No YouTube

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Resenha: Of Montreal - Innocence Reaches


Grupo lança disco pouco mais de 18 meses depois do último

Aureate Gloom, o último álbum do Of Montreal, não atingiu as expectativas esperadas. Ao levar ao público um disco apenas irregular, a banda não conseguiu subir de nível - até regrediu, dependendo de como se olha a coisa. Um ano e meio depois, eles retornam com mais um disco de inéditas, Innocence Reaches, lançado no último dia 12.

A agitadinha "let's relate" abre o disco com um poperô de segunda categoria intragável. Começar mal desse jeito é muito ruim, porque é difícil subir o nível e ter uma drástica melhora, que não vem em "it's different for girls". Melhora um pouco, mas de maneira insuficiente. A influência da música do fim dos anos 1960 está presente na boa "gratuitous abysses", um alento neste início de trabalho – animada, mostra potencial nas apresentações ao vivo.

Veja também:
Resenha: Deftones – Gore
Resenha: Young The Giant – Home of the Strange
Resenha: Steven Tyler – We're All Somebody from Somewhere
Resenha: Tony Joe White – Rain Crow
Resenha: Lukas Graham – Lukas Graham
Resenha: Dinosaur Jr. – Give a Glimpse of What Yer Not
Resenha: Jack & Amanda Palmer – You Got Me Singing

Se "my fair lady" parece uma Banda Mais Bonita da Cidade tocando dois tons acima, le chants de maldoror" é desnecessariamente longa e cansativa, e "a sport and a pastime" é bem enjoada e cheia de efeitos que só deixa tudo mais chato. A lenta "ambassador bridge" até soa interessante justamente por conseguir trabalhar melhor os diversos instrumentos usados para construir a melodia.

Daí eles pulam para uma mistura estranha de Run-DMC com Pink Floyd dos anos 1960 na muito boa "def pacts", já "chaos arpeggiating" é bem desinteressante e passável. "nursing slopes" soa um Tame Impala de segunda mão - bem ruim – e as duas últimas tem um quê experimental bem alto e conseguem ser interessantes, porém isso é insuficiente para salvar o disco.

Como no inferno, as intenções são ótimas, mas nem sempre dá certo. Falta encontrar um caminho, porque ficar no meio termo entre várias referências só atrapalha.

Tracklist:

1 - "let's relate"
2 - "it's different for girls"
3 - "gratuitous abysses"
4 - "my fair lady"
5 - "le chants de maldoror"
6 - "a sport and a pastime"
7 - "ambassador bridge"
8 - "def pacts"
9 - "chaos arpeggiating"
10 - "nursing slopes"
11 - "trashed exes"
12 - "chap pilot"

Nota: 2/5



Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!