No YouTube

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Resenha: Girl Band – Holding Hands With Jamie


Os irlandeses da Girl Band, um nome bem diferente para uma banda (aliás, o tanto de grupo chamado Girl é uma grandeza, quase não achei esse), lançaram seu disco de estreia no último dia 25 de setembro pela Rough Trade, uma das gravadoras mais legais do mundo. Por ser uma estreia e pelo tipo de som feito por eles, tudo leva a crer em algo legal.
  • Gravadora: Rough Trade
  • Lançamento: 25 de setembro
  • Produção: Girl Band
  • Duração: 38 minutos
O início de "Umbongo", primeira de Holding Hands With Jamie, não é nada fácil, já que a banda optou por uma parte instrumental experimental por quase dois minutos. Quando o ouvinte consegue sair do espanto inicial, é possível admirar a beleza e a melancolia da faixa, recheada de guitarras altas e gritaria em mais de quatro minutos. Interrompida abruptamente, ela consegue abrir bem para a seguinte, "Pears For Lunch", bem semelhante ao trabalho de muitas bandas experimentais pelo mundo.

"Baloo" apela aos efeitos e distorções nos instrumentos para formar várias camadas de algo que não é possível descrever em palavras – só ouvindo para ter uma boa ideia do impacto –, enquanto "In Plastic" é mais suave e menos experimental, mas ainda experimental o suficiente para não ser uma canção comum. A bateria incessante de "Paul" acompanha o baixo durante quase dois minutos, até a entrada da guitarra distorcida. Isso tudo junto ganhar um ar quase de Black metal, de tão pesado.

Um pouco mais de um minuto, "The Last Riddler" mostra a qualquer futuro músico como uma canção crua de tudo pode ser uma ótima pedida ao ser a mais punk de todo disco, e "Texting an Alien", talvez pelo nome, se encaixa em uma mistura de progressivo, psicodélico e futurismo. "Fucking Butter", de longe, é a mais estranha das nove. Até por isso, é a melhor de todas, principalmente para quem gosta desse tipo de estrutura.

"The Witch Dr." Manté tudo que foi feito e encerra o disco, que, certamente não agradará qualquer um, mas é ideal para quem gosta de música experimental de boa qualidade. E aqui, há qualidade de sobra.

Tracklist:

1 - "Umbongo"
2 - "Pears For Lunch"
3 - "Baloo"
4 - "In Plastic"
5 - "Paul"
6 - "The Last Riddler"
7 - "Texting an Alien"
8 - "Fucking Butter"
9 - "The Witch Dr."

Nota: 4/5

Dara Kiely: vocais
Alan Duggan: guitarra
Daniel Fox: baixo
Adam Faulkner; bateria



Veja também:
Resenha: Elza Soares – A Mulher do Fim do Mundo
Resenha: Bong - We Are, We Were and We Will Have Been
Resenha: Peaches – RUB
Resenha: Bob James e Nathan East – The New Cool
Resenha: Deafheaven – New Bermuda
Resenha: Silversun Pickups – Better Nature
Resenha: Gary Clark Jr. – The Story Of Sonny Boy Slim

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais! Isso ajuda pra caramba o blog a crescer e ter a chance de produzir mais coisas bacanas.