No YouTube

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Resenha: Bob James e Nathan East – The New Cool


Por Gabriel Carvalho

Um dos lados desta parceria é Bob James, pianista, compositor e arranjador vencedor de dois Grammys. Do outro lado, Nathan East, baixista que tem no currículo parcerias com Eric Clapton, Michael Jackson, Phil Collins, Geroge Harrison e muito mais. Além disso, James e East formam, ao lado de Harvey Mason e Chuck Loeb, o quarteto de fusion Fourplay.
  • Gravadora: Yamaha Entertainment Group
  • Lançamento: 18 de setembro
  • Produção: Bob James, Nathan East
  • Duração: 53 minutos
Ver os dois se juntando no estúdio não é, portanto, uma novidade. O ineditismo está no modo como James e East se reuniram novamente: Chris Gero, presidente da Yamaha Entertainement Group, levou os músicos para um estúdio em Nashville, forneceu instrumentos musicais da marca e deu total liberdade para a dupla criar. O resultado é The New Cool, álbum que leva o nome dos dois artistas.

Com músicos do naipe de James e East, este registro só poderia ser recheado com arranjos excelentes – como na faixa-título, que se mostra autossuficiente apenas com contrabaixo e piano e é agradabilíssima de ouvir. Ainda que não seja feito somente de momentos brilhantes, o disco conta com outras pérolas, como “Midnight Magic/Love Me As Though There Were No Tomorrow”, outro trabalho brilhante de James e East, além da versão de “Crazy” – sim, é do Willie Nelson (aquele mesmo que você imagina, caro leitor), não do Julio Iglesias – que conta com os vocais de Vince Gill e a participação da Nashville Recording Orchestra.

Os momentos que não são brilhantes nem de longe são ruins. “How Deep Is The Ocean” é um exemplo disso, assim como “Waltz For Judy” – outra que conta com o apoio da Nashville Recording Orchestra – e “Seattle Sunrise”, que acaba se arrastando um pouco.

“Canto Y La Danza” é mais um exemplo de arranjos muito bem executados e conta com a participação do baterista Scott Williamson e do percursionista cubano Rafael Padilla – que, obviamente, dá um toque latino à faixa. “Ghost of a Chance” é mais uma faixa a exibir a participação da Nashville Recording Orchestra e é um jazz suave, com toques de música clássica e se mostra mais um acerto da dupla.

“Turbulence”, que encerra o disco, apresenta East tocando baixo elétrico e se aproxima do fusion que o baixista e James fazem no Fourplay, mesclado com momentos de puro jazz. As variações de intensidade e ritmos dão um toque especial à faixa, uma das melhores do registro. The New Cool é uma prova de que colocar dois músicos de alto calibre dentro de um estúdio e dar a eles liberdade para fazer o que bem entenderem geralmente resulta em álbuns muito bons.

Tracklist:

1 – “The New Cool”
2 – “Oliver’s Bag”
3 – “All Will Be Revealed”
4 – “Midnight Magic/Love Me As Though There Were No Tomorrow”
5 – “Crazy” (feat. Vince Gill)
6 – “How Deep Is The Ocean”
7 – “Canto Y La Danza”
8 – “Waltz For Judy”
9 – “Seattle Sunrise”
10 – “Ghost Of A Chance”
11 – “Turbulence”

Bob James: piano, teclado, arranjo e maestro
Nathan East: baixo, guitarra e baixo duplo
Nashville Recording Orchestra: orquestra

Nota: 4/5



Veja também:
Resenha: Deafheaven – New Bermuda
Resenha: Silversun Pickups – Better Nature
Resenha: Gary Clark Jr. – The Story Of Sonny Boy Slim
Resenha: Dead Weather – Dodge and Burn
Resenha: Deerhunter – Fading Frontier
Resenha: ALO – Tangle of Time
Resenha: St Germain – St Germain

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais! Isso ajuda pra caramba o blog a crescer e ter a chance de produzir mais coisas bacanas.