No YouTube

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Resenha: Langhorne Slim and The Law – The Spirit Moves


Nascido na Pensilvânia, Langhorne Slim, nome artístico de Sean Scolnick, começou sua carreira no conservatório musical do Purchase College. Mas o sucesso só chegou em 2012, com o lançamento de The Way We Move, seu trabalho mais conhecido até hoje. Ao lado da The Law, sua banda de apoio, o cantor fez turnês ao lado de nomes como Cake, The Avett Brothers e outros nomes da cena alternativa da música americana.

Sexto trabalho em estúdio, The Spirit Moves tem como início uma canção animada que tem o banjo na base. Além de "Spirit Moves" ser bem dançante, acaba sendo um convite ao ouvinte para seguir a audição do trabalho. A seguinte, "Changes", é mais calma e é um folk bem tradicional mesmo, com raiz nos trabalhos de Pete Seeger e outros nomes do gênero de bastante sucesso nos anos 1940.

"Put It Together" entra na lista das músicas bonitas que todo álbum deveria ter. O tom épico ajuda a colocá-la mais para cima no refrão, enquanto a parte instrumental dá conta do recado em pouco menos de três minutos e meio. Se "Whisperin'" é bem comum e normal, "Strangers" é um country para cima e cheio de energia. E "Life's a Bell" parece ter sido feita em algum lugar dos anos 1950 e colocada no disco. Que letra!

A sonolenta e sem graça "Wolves" antecede a ótima balada blues "Bring You My Love", que tem uma guitarra bem simples e delicada dando o andamento, seguida pela também boa "Airplane" – essa no piano, de letra profunda e chorosa e um vocal mais falado do que cantado. A mais ou menos "Southern Bells" antecede as duas últimas canções (a ótima e profunda "Strongman" e a mediana "Meet Again").

O trabalho é muito irregular. Enquanto tem canções ótimas, o disco também tem outras sonolentas e sem graça. Poderia ser melhor, mas algumas se salvam.

Tracklist:

1 - "Spirit Moves"
2 - "Changes"
3 - "Put It Together"
4 - "Whisperin'"
5 - "Strangers"
6 - "Life's a Bell"
7 - "Wolves"
8 - "Bring You My Love"
9 - "Airplane"
10 - "Southern Bells"
11 - "Strongman"
12 - "Meet Again"

Nota: 2,5/5

Veja também:
Resenha: Michael McNeill Trio - Flight
Resenha: James Taylor – Before This World
Resenha: BIKE – 1943
Resenha: Public Image Ltd. – What the World Needs Now
Resenha: Foals – What Went Down
Resenha: Eric Marienthal & Chuck Loeb – Bridges
Resenha: Ghost – Meliora

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais! Isso ajuda pra caramba o blog a crescer e ter a chance de produzir mais coisas bacanas.