No YouTube

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Resenha: Wolf Alice – My Love Is Cool


Formado por Ellie Rowsell (vocais/guitarra), Joff Oddie (guitarra/vocais), Theo Ellis (baixo) e Joel Amey (bateria), o Wolf Alice é uma banda inglesa e está na ativa desde 2010. Com dois EPs lançados entre 2013 e 2014, eles colocaram no mercado My Love Is Cool, o primeiro disco de estúdio cheio. O grupo já chega com certo sucesso graças ao fato de ter canções nos seriados The Leftovers e Arrow, ambos de boa audiência.

O início delicado de "Turn to Dust" mostra bem o tom do disco e da banda: algo sereno, sem ser piegas, e trabalhado em melodias bem alternativas, bem próximo do shoegaze. E se o início leve dá vontade de seguir ouvindo, "Bros" mantém o ouvinte atento ao ser mais acelerada, ainda mais quando o vocal de Rowsell é inspirado e tem ume pegada bem pop.

"Your Loves Whore" traz uma mistura incomum entre shoegaze e o trabalho do Paramore em seu último disco. E as paradas dão outro ritmo ao disco ao acompanhar uma bateria firme e sem rodeios, e "You're a Germ" e "Lisbon" são outras como uma pegada pop radiofônica bem interessante e cheias de potencial. O início sombrio de "Silk" encobre a beleza dela, principalmente no minuto e meio final – talvez a melhor do disco.

A voz com efeito de "Freazy" dá um ar etéreo à sétima faixa, outra em que o ritmo mais fácil pode ajudar em um potencial sucesso, enquanto "Giant Peach" parece ter sido retirada de alguma garagem dos anos 1990 no momento em que uma banda improvisava alguma coisa depois de ouvir Sonic Youth. E "Swallowtail" mantém esse embalo, só que acústico.

"Soapy Water" (em comparação, mais fraca do que as outras), "Fluffy" (tem um ar punk do Sonic Youth, além de ser curta e animada) e "The Wonderwhy" (canção mais refinada de todo disco porque há um cuidado e um trabalho maior na melodia, nos efeitos e em tudo que cerca a letra) encerram o álbum, que só peca por ser irregular na parte final. De resto, vale a pena ser ouvido por conseguir mesclar muita coisa boa em um disco só.

Tracklist:

1 - "Turn to Dust"
2 - "Bros"
3 - "Your Loves Whore"
4 - "You're a Germ"
5 - "Lisbon"
6 - "Silk"
7 - "Freazy"
8 - "Giant Peach"
9 - "Swallowtail"
10 - "Soapy Water"
11 - "Fluffy"
12 - "The Wonderwhy" (Hidden Track)

Nota: 3,5/5


Veja também:
Resenha: Mitchel Forman Trio - Puzzle
Resenha: Emicida – Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa
Resenha: EZTV – Calling Out
Resenha: Eno – From The Lower Earth And Ocean
Resenha: Buddy Guy – Born To Play Guitar
Resenha: Rachel Sermanni – Tied To The Moon
Resenha: The Revivalists – Men Amongst Mountains