No YouTube

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Resenha: Eno – From The Lower Earth And Ocean


O duo suíço formado por Ivo Münger e Christian Mikolasek poderia optar por entrar em vários tipos de gêneros que estão na moda, mas eles optaram por fazer uma espécie de post-rock ambient. Imagino que seja uma missão difícil fazer isso funcionar. Primeiro, pela falta de interesse do público nesse tipo de música; segundo, por ser algo que poucos músicos arriscam fazer pela dificuldade em criar melodias que funcionem.

Ainda tem o fato de carregarem o nome Eno, que poderia ser perfeitamente confundido com Brian Eno, talvez a grande referência da ambient music – os trabalhos que ele fez nos anos 1970 são exemplos de como conseguir inserir esse tipo de gênero nas rádios e entre as pessoas que só gostam do que é popular. Conseguir envolver o ouvinte é um dos grandes trabalhos de qualquer álbum desse tipo de música.

A melodia leve de "Night Was King And Reigned Unbroken" tem um papel fundamental em From The Lower Earth And Ocean, porque a primeira faixa acaba sendo decisiva para quem não gosta desse tipo de música. Ela tem o trabalho de gerar a curiosidade do ouvinte em continuar o disco, de dar ao álbum uma chance de ser ouvido. E a canção cumpre muito bem esse papel. Além de ser muito bonita, ela é bem construída sobre as camadas que formam a melodia melancólica.

Mais curta de todo disco, "Northlands Old And Toothless Wizard" carrega consigo uma tocada menos melancólica e mais pautada pelos instrumentos de corda cheios de efeitos e reverbs. E com o acréscimo de um discurso, ela acaba sendo a mais reflexiva entre todas do álbum, com "Where A Hundred Islands Cluster" funcionando como uma continuação mais triste em mais de nove minutos. Podendo ser um tem de algum filme existencial, "A Dark Cloud From The Northwest" é perfeita do início ao fim.

O silêncio de 30 segundos em "How To Still The Angry Waters" beira a claustrofobia, porque é difícil saber o que vem pela frente – se é algo pesado ou leve. E veio uma mescla disso ao aparecer apenas o violão dedilhado e uma levada tranquila de bateria, mas ela cresce muito à medida que avança, principalmente pelo uso pornográfico do teclado. Contrastando imensamente com a anterior, "Moon Of Gold And Sun Of Silver" tem ar mais pop e seria interessante vê-la como tema de algum filme ou coisa do tipo.

"And The Clouds Of Northland Thunder" encerra o disco de uma maneira muito bonita ao puxar para si isso, ainda que sem querer. Porque fazer um tipo de disco assim e dessa qualidade é para poucos. E realmente bons. From The Lower Earth And Ocean não é apenas um bom disco, é uma reflexão sem letra sobre a vida. É para se pensar. E ouvir.

Tracklist:

1 - "Night Was King And Reigned Unbroken"
2 - "Northlands Old And Toothless Wizard"
3 - "Where A Hundred Islands Cluster"
4 - "A Dark Cloud From The Northwest"
5 - "How To Still The Angry Waters"
6 - "Moon Of Gold And Sun Of Silver"
7 - "And The Clouds Of Northland Thunder"

Nota: 4,5/5


Veja também:
Resenha: Buddy Guy – Born To Play Guitar
Resenha: Rachel Sermanni – Tied To The Moon
Resenha: The Revivalists – Men Amongst Mountains
Resenha: Albert Hammond Jr. – Momentary Masters
Resenha: Sun Kil Moon – Universal Themes
Resenha: Omar Souleyman – Bahdeni Nami
Resenha: Shaun Martin – 7 Summers