No YouTube

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Resenha: Vintage Trouble – 1 Hopeful Rd.


Por Gabriel Carvalho

O Vintage Trouble, banda formada pelo carismático e talentoso Ty Taylor nos vocais, Nalle Colt na guitarra, Rick Barrio Dill no baixo e Richard Danielson na bateria, atraiu os olhares de muita gente com The Bomb Shelter Sessions - disco de estreia do grupo, lançado em 2011, uma mistura de rock, blues, R&B e soul. Desde a energética apresentação no tradicional programa Later... with Jools Holland, os quatro fizeram turnês abrindo para o The Who, AC/DC e participaram de festivais ao redor do mundo – incluindo a edição de 2013 do Rock in Rio.

Após quatro anos, o Vintage Trouble finalmente disponibiliza 1 Hopeful Rd., segundo disco da banda californiana – que tem a difícil tarefa de manter o excelente nível apresentado pelo álbum de estreia. As coisas começam muito bem com a dançante “Run Like The River”, que abre com um riff de slide guitar e depois é marcada por palmas – todos os elementos que consagraram a banda estão ali. A faixa, que já era executada em turnês anteriores, funciona muito bem ao vivo.

O ritmo, porém, cai nas duas faixas que se seguem: “From My Arms” tem forte presença de R&B e não acrescenta muito – a própria banda tem baladas melhores no repertório; “Doin’ What You Were Doin’”, no entanto, segue mais pro lado do soul e é bem superior à antecessora. “Angel City, California” tem uma pegada rock e agrada – sensação que deve se potencializar quando a faixa for tocada no lugar que serviu de inspiração para a composição.

“Shows What You Know”, outro soul (embora com leves toques de blues) se destaca pela interpretação de Taylor, pelos backing vocals feitos pelos demais integrantes e pelo solo (simples, porém bem executado) de Colt. Na sequência, “My Heart Won’t Fall Again” é algo indefinido: tem toques de soul, de R&B e até de pop – e é nisso que a faixa se enrosca, quando parece que ela vai entregar algo interessante, isso não acontece.

“Another Man’s Words” é mais uma balada presente no disco e, apesar de ser boa, soa semelhante ao que já se ouviu no próprio disco – é, então, cansativa. A partir deste ponto, o disco melhora substancialmente. “Strike Your Light”, com a participação da cantora Kamilah Marshall, coloca ritmos dançantes de volta no disco. Uma faixa com a marca registrada do Vintage Trouble de The Bomb Shelter Sessions: contagiante, deve cativar as plateias nos shows da banda. “Before The Tear Drops” tem um pé e meio no blues e é bastante interessante.

Em seguida, outra balada: é a vez de “If You Loved Me”. Nesta caso, entretanto, trata-se de uma belíssima canção, que mescla R&B e blues. É a faixa do disco com a melhor performance de Taylor e, além disso, a banda se mostra muito coesa. “Another Baby” é a mais roqueira do registro e, ao mesmo, tem um balanço bem familiar para os brasileiros nas partes dos versos. Para fechar o registro, é o formato acústico o escolhido para a balada “Soul Serenity”, que funciona bem.

O segundo disco do Vintage Trouble peca pelo excesso de baladas. A banda deixa, em vários momentos do álbum, de utilizar o que tem de melhor: a energia de seus integrantes. É no trecho final do registro que se vê o que este grupo pode produzir de melhor. Como tradicionalmente acontece com bandas que causam grande impacto já na estreia, o sucessor sempre recebe uma pressão enorme. 1 Hopeful Rd. não chega perto do brilhantismo de The Bomb Shelter Sessions, mas é um bom e honesto disco.

Tracklist:

1 – “Run Like the River”
2 – “From My Arms”
3 – “Doin’ What You Were Doin’”
4 – “Angel City, California”
5 – “Shows What You Know”
6 – “My Heart Won’t Fall Again”
7 – “Another Man’s Words”
8 – “Strike Your Light” (feat. Kamilah Marshall)
9 – “Before The Tear Drops”
10 – “If You Loved Me”
11 – “Another Baby”
12 – “Soul Serenity”

Nota: 3/5





Veja também:
Resenha: Richard Thompson - Still
Resenha: Giorgio Moroder – Déjà Vu
Resenha: Joe Satriani – Shockwave Supernova
Resenha: Ana Cañas – Tô Na Vida
Resenha: Wolf Alice – My Love Is Cool
Resenha: Mitchel Forman Trio - Puzzle
Resenha: Emicida – Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa