No YouTube

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Resenha: Richard Thompson - Still


Jeff Tweedy vive grande fase em 2015. Depois do Wilco colocar o novo disco para download, ele também produziu Still, 16º trabalho de estúdio de Richard Thompson. Nascido em 1949, Thompson é uma imensa influência para diversos músicos e bandas – desde Michael Stipe, do R.E.M, até o Dinosaur Jr –, tendo gravado com alguns deles ao longo de sua carreira. Além disso, ele também fez muito sucesso ao lado de sua então mulher Linda Thompson nos anos 1970.

E o início completamente country de "She Never Could Resist a Winding Road" mostra que Richard Thompson, além de ter uma voz ótima para cantar esse tipo de canção, tem um ótimo bom gosto para arranjos. Não basta a letra ser bonita, tem que vir com uma melodia caprichada e de alto nível. Aquele country legal contador de histórias aparece na boa "Beatnik Walking", em que o violão domina completamente do início ao fim.

"Patty Don’t You Put Me Down", terceira do álbum, é aquela típica canção que todo álbum do estilo tem: o cara que é colocado para baixo pela garota/mulher que gosta. Aqui, a guitarra aparece pela primeira vez em um solo resignado, beirando a tristeza, e "Broken Doll" quebra tudo isso. Por ser mais experimental, ela destoa bastante do resto do disco, mas, apesar disso, é boa por conseguir trabalhar delicadamente a parte instrumental ao criar um clima envolvente na audição.


Melhor das 12 músicas do álbum, "All Buttoned Up" serviu como oportunidade para Richard Thompson mostrar todo potencial de sua voz. E ela ainda tem um bom andamento, aliada a um refrão grudento. A triste e desanimada "Josephine" acaba prejudicando o ritmo, mas a empolgação retorna na ótima "Long John Silver". Já em "Pony in the Stable", o vocal feminino faz um ótimo complemento ao masculino.

Entre todas as músicas apresentadas no disco, a que mais tem chance de tocar nas rádios é "Where’s Your Heart". Pelo apelo romântico, por ser simples em toda sua estrutura, por ter uma letra fácil e por ter uma parte instrumental muito bonita, típica do country. É uma bela canção, sem dúvida. E "No Peace No End" é aquele rock que todos esperavam. Até por isso, a balada "Dungeons for Eyes" chega em boa hora para dar uma acalmada.

"Guitar Heroes" fecha o álbum e serve como homenagem a todos os heróis da guitarra e do violão espalhados pelo mundo, ainda mais quando Thompson opta por fazer uma espécie de rock à la Elvis Presley. Não deixa de ser um encerramento bonito para um disco interessante e de bom nível, que tem defeitos, mas ainda mostra um cantor em boa forma para seguir fazendo o que sabe.

Tracklist:

1- "She Never Could Resist a Winding Road"
2 - "Beatnik Walking"
3 - "Patty Don’t You Put Me Down"
4 - "Broken Doll"
5 - "All Buttoned Up"
6 - "Josephine"
7 - "Long John Silver"
8 - "Pony in the Stable"
9 - "Where’s Your Heart"
10 - "No Peace No End"
11 - "Dungeons for Eyes"
12 - "Guitar Heroes"

Nota: 3/5


Veja também:
Resenha: Giorgio Moroder – Déjà Vu
Resenha: Joe Satriani – Shockwave Supernova
Resenha: Ana Cañas – Tô Na Vida
Resenha: Wolf Alice – My Love Is Cool
Resenha: Mitchel Forman Trio - Puzzle
Resenha: Emicida – Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa
Resenha: EZTV – Calling Out