No YouTube

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Resenha: Mr. Irish Bastard – The World, The Flesh and The Devil


Uma banda de punk cigano até que vai, mas uma alemã que canta em inglês é difícil de ver por aí, certo? O Mr. Irish Bastard está na estrada há quase dez anos com quatro discos de estúdio mais dois especiais para o mercado asiático. Liderados pelo Irish Bastard, uma coisa é certa em todos os discos: muita dança e diversão em 99% das canções.

Para quem gosta de Gogol Bordello e semelhantes, "Kingdom of the Sun" é um ótimo início para The World, The Flesh and The Devil por ser dançante, animada e ter um refrão grudento – exatamente como a banda mais famosa faz. Pronto, disso para começar a bater o pé na cadeira não é muito difícil. Em "Drink Another Day" temos aquela que apela bastante para parte instrumental, também bem agitada, e com os versos rimando freneticamente.

Se "Ballad of a Workshy Man" soa muito uma mistura das anteriores, "Monsters in the Light" é um pouco mais pesada, um tanto cheia de mistério e só. Outra que entra na cota divertida, não necessariamente algo genial, é "I Hope They Sell Beer in Hell" e sua letra animada; diferente da balada um pouquinho sem graça de "Don’t you Walk Away".

O ritmo punk cigano retorna na sétima faixa ("Fuck You My Darling") e embala de uma vez do início ao fim sem pausas para respirar, bem diferente da desanimadora e sem graça balada folk "Black Island Ferry". Ainda bem que tudo muda para melhor nas ótimas "Captain O Captain", momento em que eles aproveitam para explorar o lado mais folk, e "That Bithc Drank My Whiskey", essa um show a parte – momento em que a banda inteira canta e toca.

A suavidade de "All the Time in the World" impressiona, ainda mais depois de ver todo agito deles nas duas canções anteriores, e isso funciona bem. O refrão de tom épico ("Evil Ways") e o pop ("Grey Grey Grass") finalizam o disco, que peca por ser irregular em alguns momentos. Mas se você não liga para isso e gosta desse punk cigano animado, ouça. Uma pena que não seja melhor.

Tracklist:

1 - "Kingdom of the Sun"
2 - "Drink Another Day"
3 - "Ballad of a Workshy Man"
4 - "Monsters in the Light"
5 - "I Hope they sell Beer in Hell"
6 - "Don’t you Walk Away"
7 - "Fuck You My Darling"
8 - "Black Island Ferry"
9 - "Captain O Captain"
10 - "That Bithc Drank My Whiskey"
11 - "All the Time in the World"
12 - "Evil Ways"
13 - "Grey Grey Grass"

Nota: 2,5/5


Veja também:
Resenha: Scott Henderson - Vibe Station
Resenha: Muse – Drones
Resenha: Willie Nelson e Merle Haggard – Django And Jimmie
Resenha: Girlpool – Before The World Was Big
Resenha: Florence and The Machine – How Big, How Blue, How Beautiful
Resenha: Dafnis Prieto Sextet - Triangles And Circles
Resenha: Odair José - Dia 16