No YouTube

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Resenha: FFS [Franz Ferdinand e Sparks] – FFS


Uma fusão de duas bandas é sempre algo complicado porque envolve uma série de fatores e de ego, mas isso não foi problema para os escoceses do Franz Ferdinand e os americanos veteranos do Sparks. Unido o estilo indie dançante do primeiro com os sintetizadores do segundo, surgiu o FFS, que lançou seu primeiro disco no início desta semana.

O piano da introdução de "Johnny Delusional" traz a impressão de um álbum sombrio e cheio de terror, mas logo a batida mais animada aparece, a guitarra solta o primeiro riff e pronto, temos uma canção dançante para começar a união de dois mundos. Puxando mais para o lado do Franz, "Call Girl" é a típica música que Alex Kapranos cansou de cantar por aí, enquanto "Dictator's Son" tem uma pegada mais eletrônica – lembrando que o Franz flertou com isso em Tonight: Franz Ferdinand (2009).

"Little Guy from the Suburbs" é aquela balada que não machuca ninguém, nem agita, nem faz nada, soando como aquele jogador mediano que está no clube apenas para completar o elenco. Isso muda bem com "Police Encounters". A faixa traz muito da atmosfera dos anos 1970 e alia muito bem os talentos dos dois grupos, e abre caminho para "Save Me from Myself" – emendando dois momentos extremamente dançantes no álbum.

O toque eletrônico em "So Desu Ne" dá um quê competente e até alegra, mas maneira é "The Man Without a Tan", momento em que o Sparks mostra seu melhor graças ao refrão grudento, já "Things I Won't Get" tem uma melodia mais suave e até que funciona bem. Fechando esse quarteto, "The Power Couple" e seu ar militar traz uma união mais clima de filme de terror.

Melhor canção do disco, "Collaborations Don't Work" usa da fina ironia para bater em quem criticou a união das duas bandas em uma só para este disco. Ao usar bem referências da cultura pop e dividi-la em atos (como em uma ópera rock), Franz Ferdinand e Sparks conseguiram fazer uma das boas canções deste ano. Outra excelente faixa é o encerramento, momento em que "Piss Off" entra para encerrar o disco com chave de ouro.

Franz Ferdinand e Sparks, ao juntarem forças, conseguiram fazer um disco divertido e animado para ser ouvido ao longo do dia. Sem pressão para fazer sucesso ou quebrar recordes, deu para fazer um registro agradável para todos. E assim que deveria ser para todo mundo.

Tracklist:

1 - "Johnny Delusional"
2 - "Call Girl"
3 - "Dictator's Son"
4 - "Little Guy from the Suburbs"
5 - "Police Encounters"
6 - "Save Me from Myself"
7 - "So Desu Ne"
8 - "The Man Without a Tan"
9 - "Things I Won't Get"
10 - "The Power Couple"
11 - "Collaborations Don't Work"
12 - "Piss Off"

Nota: 3,5/5


Veja também:
Resenha: Mr. Irish Bastard – The World, The Flesh and The Devil
Resenha: Scott Henderson - Vibe Station
Resenha: Muse – Drones
Resenha: Willie Nelson e Merle Haggard – Django And Jimmie
Resenha: Girlpool – Before The World Was Big
Resenha: Florence and The Machine – How Big, How Blue, How Beautiful
Resenha: Dafnis Prieto Sextet - Triangles And Circles