No YouTube

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Resenha: The Vaccines – English Graffiti


O Vaccines é desses fenômenos que a NME e a mídia inglesas exaltam à vera por semanas e mais semanas até que todos ficam saturados. Mas, por incrível que possa parecer, essa banda em especial não é ruim. Formado por Justin Hayward-Young (vocais/guitarra), Freddie Cowan (guitarra/vocais de apoio), Árni Árnason (baixo/vocais de apoio) e Pete Robertson (bateria/vocais de apoio), o grupo lançou o ótimo What Did You Expect from The Vaccines? em 2011 e o não tão bom Come of Age no ano seguinte.

Em 2013, já fazendo sucesso pelo mundo, eles me lançam o pavoroso EP Melody Calling. Das quatro músicas, só tem uma boa, sendo o resto muito ruim. E, por uma incrível coincidência ou não, eles sumiram depois desse trabalho. No início desse ano, o Vaccines apareceu com o primeiro single de English Graffiti, novo disco de estúdio, lançado no início desta semana.

Forte, imponente e animada, "Handsome" carrega muito do primeiro álbum da banda, claramente inspirado na fase mais pop do Clash e no pós-punk do final dos anos 1970 na Inglaterra. Segunda faixa, "Dream Lover", é uma balada cheia de efeitos e refrão grudento, e até que segura as pontas – mas só isso. Na seguinte, "Minimal Affection", não melhora muito e tudo fica sem graça, soando como o Muse do último disco.

"20/20" traz mais o lado punk deles. Sinceramente, o Vaccines precisa de mais músicas exatamente assim, não baladas chatas, minimalistas e sonolentas como no caso de "(All Afternoon) In Love". As bonitinhas "Denial" e "Want You So Bad" não fazem muita diferença, não empolgam e parecem mais uma tentativa de flertar com algo diferente no futuro, o que não funcionou nesse disco.

Eles se recuperam bastante na ótima "Radio Bikini", canção de ar punk que supera com sobras os momentos sonolento proporcionado por “Maybe I Could Hold You" e "Give Me A Sign". Os 28 segundos de silêncio de "Undercover", última do disco, ajudam a criar expectativa para uma canção diferente, com ar psicodélico. Uma pena que isso tenha vindo no último momento.

Por que o Vaccines colocou tantas baladas? Elas não funcionam e entediam o ouvinte durante quase toda audição. Se eles querem fazer isso, beleza, mas é bom fazer direito. Eles são tão bons quando aumentam o volume das guitarras e colocam o pessoal para dançar, deveriam fazer isso mais vezes. Eles estão perto de virar uma banda de um disco só.

Tracklist:

1 - "Handsome"
2 - "Dream Lover"
3 - "Minimal Affection"
4 - "20/20"
5 - "(All Afternoon) In Love"
6 - "Denial"
7 - "Want You So Bad"
8 - "Radio Bikini"
9 - "Maybe I Could Hold You"
10 - "Give Me A Sign"
11 - "Undercover"

Nota: 2/5


Veja também:
Resenha: Fool’s Gold – Flying Lessons
Resenha: Hot Chip – Why Make Sense?
Resenha: Paul Weller – Saturns Pattern
Resenha: Royal Thunder - Crooked Doors
Resenha: Brandon Flowers – The Desired Effect
Resenha: Chris Lightcap's Bigmouth - Epicenter
Resenha: Macaco Bong – Macumba Afrocimética