No YouTube

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Resenha: Drake - If You're Reading This It's Too Late


Depois de Nothing Was the Same, um dos melhores discos de 2013, Drake ficou um pouco encoberto pelo trabalho de outros rappers, como Kanye West (e sua genialidade, que nem acho tanta assim, exaltada) e o ótimo retorno do Run the Jewels (responsável por um dos melhores discos de 2014).

De surpresa, há pouco mais de duas semanas, Drake lançou If You're Reading This It's Too Late, seu quarto álbum de estúdio, em vários formatos. Aos 28 anos, ele dá mostras de que está quase pronto para torna-se uma das referências em sua geração.

"Legend" abre os trabalhos com uma melodia e letra bem pesados, e com Drake já mostrando sua capacidade em escrever canções com peso, mesmo que seja para exaltar a ele mesmo ao melhor estilo Kanye West. Em outra também muito boa, "Energy" tem, para não usar outra palavra, energia e sinceridade vindas de alguém que já sofreu muito na vida.

Por ser mais curta, "10 Bands" acaba soando mais comum em comparação com as outras, mas quando "Know Yourself" começa um diálogo e passa para uma batida melancólica, aumenta o nível de Drake em relação ao que ele já foi um dia. É outra faixa acima da média, assim como "No Tellin'", que impressiona por usar elementos da música gospel para compor a música.

Sinceramente, não sei se "Madonna" tem algo a ver diretamente com a cantora, mas não importa muito porque a canção não impressiona – ninguém repararia se ela tivesse ficado fora –, o mesmo acontece com "6 God", outra que é passável. Ainda bem que tudo muda em "Star67", uma mistura de trama policial no gueto com drama.

Com participação de PartyNextDoor em "Preach" e "Wednesday Night Interlude", Drake coloca o ouvinte para dançar na primeira e coloca para fora seu lado Alexandre Pires na segunda, já "Used To", com Lil Wayne, é aquela que não chama atenção por nada e é outra passável. E o mesmo acontece com "6 Man" em seus pouco mais de dois minutos.

Quando Drake consegue usar bem a letra e passa sinceridade, ele impressiona. Em "Now & Forever", é uma junção de tudo isso mais uma letra bem tocante e uma batida marcante. Apesar de seus bons momentos em "Company" com ajuda de Travi$ Scott, o excesso de efeitos na voz de Drake me incomodou um pouco nesta faixa em especial. Daí quando ele retorna à simplicidade ("You & the 6"), se sai muito bem. As duas últimas canções, "Jungle" e "6PM in New York", são opostas em suas propostas – enquanto uma é bem lenta, a outra tem uma batida bem agressiva.

Esse ainda não é o disco que Drake possa considerar como sua obra-prima. E é exatamente esse passo que falta para consolidar sua carreira, um álbum realmente marcante. If You're Reading This It's Too Late pode ser o início disso, mas ainda não é o final.

Tracklist:

1 - "Legend"
2 - "Energy"
3 - "10 Bands"
4 - "Know Yourself"
5 - "No Tellin'"
6 - "Madonna"
7 - "6 God"
8 - "Star67"
9 - "Preach" (featuring PartyNextDoor)
10 - "Wednesday Night Interlude" (featuring PartyNextDoor)
11 - "Used To" (featuring Lil Wayne)
12 - "6 Man"
13 - "Now & Forever"
14 - "Company" (featuring Travi$ Scott)
15 - "You & the 6"
16 - "Jungle"
17 - "6PM in New York" (bônus track)

Nota: 3,5/5


Veja também:
Resenha: Iron and Wine - Archive Series Volume No. 1
Resenha: José González – Vestiges and Claws
Resenha: Slipknot - .5: The Gray Chapter
Resenha: Carl Barât and The Jackals – Let It Reign
Resenha: Randy Brecker with the DePaul University Jazz Ensemble – Dearborn Station
Resenha: Napalm Death - Apex Predator - Easy Meat
Resenha: Pond - Man It Feels Like Space Again

Siga o blog no Twitter, Facebook, Instagram, no G+, no no Tumblr e no YouTube

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!