No YouTube

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Resenha: Natalie Prass - Natalie Prass


"Ela é uma alegria para qualquer ouvinte e tem uma energia genuína com uma mistura de sinceridade e insolência cósmica e assumidamente romântica. Ela oferece tudo isso com o charme despreocupado e intuição quase divina". Essa é a descrição que está no site de Natalie Prass, que lançou seu primeiro disco, com seu nome, há poucos dias.

Antes de colocar na praça seu álbum de estreia, ela compôs canções para Dolly Parton, Dusty Springfield e Jenny Lewis. Ou seja, não é muito difícil de prever que as canções estão carregadas de sentimentos e contarão com declarações quase pessoais sobre certas situações que qualquer pessoa no mundo se identificará, certamente.

O conjunto de metais e o estilo orquestral da melodia tornam "My Baby Don't Understand Me" uma canção lindamente tocante e cheia de nuances delicadas que podem fazer dessa moça um tremendo sucesso. Em "Bird of Prey", temos uma mistura entre o soul e o pop. Com seu refrão grudento e melodia graciosa, é outra que tem chance de estourar rapidamente.

Algumas coisas que mais impressionam nesse álbum são o bom gosto nas melodias e como conseguiram usar elementos simples, como uma batida, um piano e um saxofone para construir a ótima “Your Fool”. Claro que tudo isso só funciona porque Prass consegue ter um desempenho excelente no vocal e a letra é tocante o suficiente. Tudo isso forma uma combinação fatal para impressionar e até emocionar. Quase como uma ópera, com início, meio e fim, "Christy" conta a triste história de uma garota. E é outra que consegue trabalhar com maestria a harmonia.

Mais perto de Duffy do que de Adele, Natalie Prass também consegue mostrar sua veia pop "Why Don't You Believe In Me", porém em "Violently" ela consegue usar um tipo de fórmula batida – romântica com elementos pontuais, quase um tema pronto para uma novela da Globo – de um jeito que funciona bem e agrada. Outra em que o lado pop aparece é em "Never Over You" – essa consegue aliar mais elementos clássicos com uma letra que agrada.

O vocal quase falado de "Reprise" é uma surpresa, mostrando que a cantora consegue aliar bem o que é necessário para se adequar melhor à faixa. Para encerrar, "It Is You" soa como trilha sonora de um filme da Disney. E acaba sendo um belo encerramento para um álbum que deve pintar nas listas de melhores do ano. Porque não basta ter apenas uma boa voz ou uma boa produção, é preciso ter bom gosto para aliar as duas coisas com melodias lindas e cheias de contornos. Enfim, é uma ótima estreia.

Tracklist:

1 - "My Baby Don't Understand Me"
2 - "Bird of Prey"
3 – “Your Fool”
4 - "Christy"
5 - "Why Don't You Believe In Me"
6 - "Violently"
7 - "Never Over You"
8 - "Reprise"
9 - "It Is You"

Nota: 4/5



Veja também:
Resenha: Gov’t Mule featuring John Scofield – Sco-Mule
Resenha: Flying Lotus - You're Dead!
Resenha: Viet Cong – Viet Cong
Resenha: Enter Shikari - The Mindsweep
Resenha: Mark Ronson – Uptown Special
Resenha: Björk – Vulnicura

Siga o blog no Twitter, Facebook, Instagram, no G+, no no Tumblr e no YouTube

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!