No YouTube

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Resenha: Mark Ronson – Uptown Special


Pelo seu trabalho como produtor, Mark Ronson já poderia colher os frutos de sua fama e fortuna. Mesmo com quase 50 discos em que leva crédito na produção, ele ainda encontra tempo para compor material próprio e lançar seus álbuns. O mais recente é Uptown Special, que conta com participações como Stevie Wonder, Bruno Mars e outros nomes da cena do R&B, do soul, do funk e do rap.

É possível que ninguém dê nada para "Uptown's First Finale", mas calma. Deixe a faixa rolar e você escutará, por exemplo, o belo solo de gaita de Stevie Wonder. Ela serve como introdução ao trabalho e a "Summer Breaking", segunda faixa, um soul bem suave e que consegue equilibrar bem todos os elementos. Saindo do soul e indo ao rap, "Feel Right" é um pouco pesada e recheada de palavrões, mas admito que é bem dançante e cheia de ritmo.

O já famoso single e candidato a canção do ano, "Uptown Funk" traz muito do funk e do R&B dos anos 1970, e dá para ver a grande influência de Michael Jackson no vocalista Bruno Mars, o convidado da vez. Em "I Can't Lose" vemos uma espécie de homenagem a dance music – os sintetizadores e teclado a pleno vapor são duas provas disso.

A decepção do disco está em "Daffodils", uma balada muito, mas muito indie. Qualquer banda nova com ajuda do computador faz um negócio sem graça e sem sal desse. Totalmente descartável, assim como "Crack in the Pearl". São duas canções que pouco acrescentam no trabalho como um todo, mas ainda bem que "In Case of Fire" chega para colocar um ponto final na mesmice com seu funk à anos 1970.

"Leaving Los Feliz" é outra que muita gente faz igual por aí – infelizmente, também não vale muito a pena –, enquanto "Heavy and Rolling" usa o baixo como base e para dar um bom ritmo a outra canção dançante e, para encerrar, "Crack in the Pearl, Pt. II" é bem mais ou menos. Mas bem mais ou menos.

É possível dividir Uptown Special em duas partes: a primeira dançante, com influências da música negra dos anos 1970 e cheia de energia; a segunda é um tanto desanimada, para baixo e cheia de referências ao que é feito na música hoje. A primeira parte é brilhante, a segunda é um tanto desanimadora, tendo apenas alguns poucos picos de brilhantismo. É um bom álbum, mas poderia ser muito melhor.

Tracklist:

1 - "Uptown's First Finale" (featuring Stevie Wonder & Andrew Wyatt)
2 - "Summer Breaking" (featuring Kevin Parker)
3 - "Feel Right" (featuring Mystikal)
4 - "Uptown Funk" (featuring Bruno Mars)
5 - "I Can't Lose" (featuring Keyone Starr)
6 - "Daffodils" (featuring Kevin Parker)
7 - "Crack in the Pearl" (featuring Andrew Wyatt)
8 - "In Case of Fire" (featuring Jeff Bhasker)
9 - "Leaving Los Feliz" (featuring Kevin Parker)
10 - "Heavy and Rolling" (featuring Andrew Wyatt)
11 - "Crack in the Pearl, Pt. II" (featuring Stevie Wonder & Jeff Bhasker)

Nota: 3/5



Veja também:
Resenha: Björk – Vulnicura
Resenha: Jazmine Sullivan - Reality Show
Resenha: Chris Potter Underground Orchestra – Imaginary Cities
Resenha: Sleater-Kinney – No Cities To Love
Resenha: Panda Bear - Panda Bear Meets the Grim Reaper
Resenha: The Decemberists - What a Terrible World, What a Beautiful World
Siga o blog no Twitter, Facebook, Instagram, no G+, no no Tumblr e no YouTube

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!