No YouTube

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Resenha: J Mascis – Tied to a Star


Pode não parecer, mas J Mascis, vocalista do Dinosaur Jr., lança seu sexto disco solo em Tied to a Star. Depois de seu último álbum solo, o ótimo Several Shades of Why, e outro por sua banda de origem, o cantor diminuiu o ritmo e tentou fazer algo mais acústico.

"Me Again" já dá o tom do que será o disco do início até o final. Não continue se você pensa que haverá velocidade, rapidez e força. Se você não gosta desse tipo de canção de jeito nenhum, não continue. Você foi avisado. A primeira canção é bem digna e até uma boa maneira de começar.

Sabe o que "Every Morning" me lembra? Eagle-Eye Cherry e aquela música grudenta dele “Save Tonight” – quem viveu os anos 1990 sabe do que estou falando. Por ter o mesmo estilo, inclusive o refrão grudento e um solinho de guitarra, até que ela é boa. Mesclando mais guitarra e violão, "Heal the Star" também é uma boa canção por ter ótimas letra e melodia.

Parece que tudo começa a desabar em "Wide Awake". E parece mesmo porque soa Jack Johnson, um dos grandes culpados da surf music acústica ter invadido os lares das pessoas de bem pelo mundo. "Stumble" é outra que não foge do mais do mesmo e parece uma continuação das canções anteriores.

O rumo é corrigido na ótima "And Then", outra canção que mescla melhor os instrumentos e não é nem um pouco chata, ao contrário. Destaque para a belíssima letra, muito acima da média. Continuando a escalada, a instrumental "Drifter" parece música feita por Robert Plant em sua fase marroquina. E exatamente por ser diferente das outras é que se destaca.

Uma boa canção pop, "Trailing Off" mostra que o violão pode ser bem usado em qualquer momento do trabalho sem ficar sonolento. As duas últimas, "Come Down" e "Better Plane", parecem uma coisa só – uma coisa longa e cansativa, diga-se.

Apesar de algumas boas canções, a sensação de decepção não passa ao final da audição. Por ser um cantor que admiro e acompanho há algum tempo, esperava muito mais do que um mero trabalho acústico. Até entendo que ele queria mostrar que tem e pode cantar outro tipo de repertório, mas algumas faixas são muito chatas e sonolentas. E sabemos que J Mascis pode fazer muito mais que um disco regular.

Tracklist:

1 - "Me Again"
2 - "Every Morning"
3 - "Heal the Star"
4 - "Wide Awake"
5 - "Stumble"
6 - "And Then"
7 - "Drifter"
8 - "Trailing Off"
9 - "Come Down"
10 - "Better Plane"

Nota: 2,5/5



Veja também:
Resenha: O Terno – O Terno
Resenha: La Roux – Trouble in Paradise
4 em 1: Dawn Landes, Daley, Benmont Tench e Patten
Resenha: Childhood – Lacuna
Resenha: Mark Lanegan Band - No Bells On Sunday EP
Resenha: The Gaslight Anthem – Get Hurt




Siga o blog no Twitter, Facebook, Instagram, no G+ e no YouTube