No YouTube

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Resenha: La Roux – Trouble in Paradise


O hype em cima desse trabalho está impressionantemente alto. Depois de ser uma das bandas indicadas para ficar de olho em diversos sites internacionais especializados em 2009, o duo formado pela cantora Elly Jackson e pelo produtor Ben Langmaid ficou cinco anos sem gravar um disco. Mas eles voltaram neste ano.

Na onda da volta dos anos 1970 às pistas de dança, "Uptight Downtown" soa como uma mistura de Chic com Abba – mais dançante do que esses dois só James Brown. Ao que parece, esse tipo de “homenagem” será cada vez mais comum na música ao longo dos próximos anos. A essência de "Kiss and Not Tell" é a mesma da primeira faixa, mas com mais efeitos eletrônicos dominando a melodia.

Não abrindo mão de conteúdo mais dançante e partindo para algo mais próximo de Lana Del Rey, "Cruel Sexuality" chama mais atenção do que as outras pela letra do que pela melodia, e o ouvinte pode não gostar dessa queda de nível. A próxima é "Paradise Is You". Ela começa devagar e tranquila, como uma balada, e caminha assim. É esse tipo de canção que espero em um disco assim, não tão cheia de efeito, mas não tão crua. Assim não fica ruim.

Uma das boas canções do ano é "Sexotheque". Dançante e bem animada, ela retoma o bom ritmo inicial e, pela primeira vez, o álbum mostra potencial para atingir um público que não seja o mesmo de sempre – indies da Rua Augusta em São Paulo, por exemplo. Já "Tropical Chancer”... bem passável. Próxima. Longuíssima, com mais de sete minutos, "Silent Partner" também é dançante, mas é metida a ser moderna. Outra abaixo do nível de antes.

O modo synthpop foi ligado de vez em "Let Me Down Gently", canção que não passa do razoável pelo fato de se repetir e não tentar nada de novo e/ou interessante. Mas o final reservou uma surpresa com a boa "The Feeling", que fecha o disco melhor do que o esperado.

O início do álbum é ótimo e a impressão é de uma releitura de elementos do passado dance com coisas atuais, mas, na medida em que foi avançando, as canções não se encaixaram tão bem quanto o esperado. O resultado acabou sendo aquém das expectativas, já que o bom início não configurou um bom trabalho no geral.

Tracklist:

1 - "Uptight Downtown"  
2 - "Kiss and Not Tell"  
3 - "Cruel Sexuality"  
4 - "Paradise Is You"  
5 - "Sexotheque"  
6 - "Tropical Chancer"  
7 - "Silent Partner"  
8 - "Let Me Down Gently"  
9 - "The Feeling"

Nota: 2,5/5



Veja também:
4 em 1: Dawn Landes, Daley, Benmont Tench e Patten
Resenha: Childhood – Lacuna
Resenha: Mark Lanegan Band - No Bells On Sunday EP
Resenha: The Gaslight Anthem – Get Hurt
4 em 1: Toni Braxton & Babyface, Mike Oldfield, Angel Olsen e Joe Louis Walker
Resenha: Opeth - Pale Communion




Siga o blog no Twitter, Facebook, Instagram e no G+