Mais no blog:

quinta-feira, 22 de abril de 2021

Resenha: Paul McCartney - McCartney III Imagined


Existem duas coisas fundamentais para qualquer um que deseja sucesso em uma carreira pública: ser bom no que faz e conseguir divulgar o trabalho de maneira adequada. Um dos mestres na arte do marketing na música é Paul McCartney, que consegue gerar expectativas por seus discos até hoje e entrega nos shows exatamente o desejado pelos fãs.

Mais recentemente, ele tem trabalhado com músicos e produtores da nova geração e, ainda que o resultado não seja dos melhores, isso ajuda a mantê-lo em evidência sempre com um novo repertório. E ele foi ainda mais além em "McCartney III Imagined", projeto em que reúne músicos de diferentes estilos para reinterpretar canções do trabalho lançado em dezembro do último ano, finalizando a trilogia iniciada em 1970.

Veja também:
Duas resenhas: Lana Del Rey e Taylor Swift
Resenha: trilha sonora de Minari
Duas resenhas: Ballaké Sissoko e Matthew E. White & Lonnie Holley
Duas resenhas: Cheap Trick e Nick Waterhouse
Resenha: trilha sonora de Mank
Resenha: Godspeed You! Black Emperor - G_d's Pee AT STATE'S END!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!

Estou no Twitter e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Esse tipo de projeto tem dois objetivos: o primeiro é a parceria musical entre McCartney e esses artistas, o que é sempre algo positivo quando bem feito. O segundo é fazer com que mais pessoas escutem o disco com as versões originais para compará-las com as novas. Assim sendo, tudo começa com a participação de Beck em "Find My Way", uma versão um pouco mais animada e experimental. Um divertimento só.

Ao longo do disco, o mais importante é ver como cada um imprime a marca pessoal em cada música. Da dançante e experimental "Pretty Boys", com participação de Khruangbin, passando pelos remix de St. Vincent, Blood Orange, Damon Albarn e Anderson .Paak até a participação de Phoebe Bridgers, todos conseguem dar uma cara totalmente diferente para as canções que McCartney gravou em casa, sozinho, ao longo do primeiro ano da pandemia.

Em mais um projeto em que consegue unir marketing com boa música, McCartney acerta nos convidados e na naturalidade no tom de cada faixa. O trabalho nasce para ser algo divertido entre eles e para os fãs, curiosos para saber como essas versões ficam. No fim, todo mundo ganha.

Tracklist:

1 - "Find My Way" (featuring Beck)
2 - "The Kiss of Venus" (Dominic Fike version)
3 - "Pretty Boys" (featuring Khruangbin)
4 - "Women and Wives" (St. Vincent remix)
5 - "Deep Down" (Blood Orange remix)
6 - "Seize the Day" (featuring Phoebe Bridgers)
7 - "Slidin'" (EOB remix)
8 - "Long Tailed Winter Bird" (Damon Albarn remix)
9 - "Lavatory Lil" (Josh Homme version)
10 - "When Winter Comes" (Anderson .Paak remix)
11 - "Deep Deep Feeling" (3D RDN remix)

Avaliação: muito bom

Continue no blog: