Mais no blog:

quinta-feira, 12 de novembro de 2020

Resenha: Public Enemy - What You Gonna Do When the Grid Goes Down?

O Public Enemy é exaltado pelo trabalho feito nos anos 1980 com muito mérito, afinal o grupo mudou a história da música e ajudou a consolidar o hip-hop não só como um gênero musical, mas também como um movimento atuante para dar voz às pessoas que não eram ouvidas por ninguém. Mas o que pouca gente percebe é que eles nunca pararam as atividades por mais de cinco anos, mostrando que seguiram na luta mesmo depois do intenso sucesso.

Além dos fatores musicais e políticos, o álbum também celebra o retorno do Public Enemy à gravador Def Jam após pouco mais de duas décadas. É o reencontro da gravadora que impulsionou o gênero com o grupo símbolo desse crescimento. É como você voltar a falar com o amigo que cresceu com você, mas, por diversos motivos, acabaram indo por caminhos diferentes. Mas é como se nunca tivessem se separado.

Veja também:
Duas resenhas: Future Islands e Travis
Duas resenhas: Tiña e Ólafur Arnalds
Resenha: Mr. Bungle - The Raging Wrath of the Easter Bunny Demo
Resenha: Elvis Costello - Hey Clockface
Resenha: Kevin Morby - Sundowner
Resenha: Jeff Tweedy - Love is the King

"What You Gonna Do When the Grid Goes Down?" é o 15º álbum de estúdio da carreira e tem tudo que os fãs adoram em um trabalho do Public Enemy: é cheio de convidados que vão desde a lenda George Clinton até o Run-DMC, tem letras fortes de protesto abordando os problemas da sociedade americana e o grupo mais afiado do que nunca em encontrar soluções musicais para criar rimas em cima dos improvisos.

O primeiro destaque é "GRID", faixa que relembra o passado do grupo ao abordar alguns dos momentos daquela época. Ainda no embalo, há protestos contra o quase ex-presidente Donald Trump ("State of the Union (STFU)"), a reunião com Mike D, Ad-Rock (ambos ex-Beastie Boys) e Run-DMC ("Public Enemy Number Won"), uma nova versão de um clássico ("Fight the Power: Remix 2020") e homenagens aos que já partiram ("Rest in Beats").

Dizer que o novo disco do Public Enemy é bom é chover no molhado, mas é fundamental entender como eles estão envelhecendo e estão mais saudosistas, apesar de não abandonar o presente jamais. Não ter parado a carreira é um feito e tanto, e seguir fazendo bons álbuns é algo ainda maior.

Estou no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Tracklist:

1 - "When the Grid Goes Down..." (featuring George Clinton)
2 - "GRID" (featuring Cypress Hill and George Clinton)
3 - "State of the Union (STFU)" (featuring DJ Premier)
4 - "Merica Mirror" (featuring Pop Diesel)
5 - "Public Enemy Number Won" (featuring Mike D, Ad-Rock and Run-DMC)
6 - "Toxic"
7 - "Yesterday Man" (featuring Daddy-O)
8 - "Crossroads Burning (Interlude)" (featuring James Bomb)
9 - "Fight the Power: Remix 2020" (featuring Nas, Rapsody, Black Thought, Jahi, YG and Questlove)
10 - "Beat Them All"
11 - "Smash the Crowd" (featuring Ice-T and PMD)
12 - "If You Can't Join Em Beat Em"
13 - "Go at It" (featuring Jahi)
14 - "Don't Look at the Sky (Interlude)" (featuring Mark Jenkins)
15 - "Rest in Beats" (featuring The Impossebulls)
16 - "R.I.P. Blackat"
17 - "Closing: I Am Black" (featuring Ms. Ariel)

Avaliação: muito bom

Continue no blog:

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!